Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





A mamã é médica #6

por Teresa Mendonça, em 11.01.13

Uma leitora escreveu: "O meu filho de 4 anos, que mamou em exclusivo até aos seis meses e mamou até aos 12, odeia leite. Ja tentei com sabores, batidos de fruta, de soja, sem lactose e não consigo que passe o copo dos lábios. Também nada de iogurtes, queijo e afins. O único leite que consigo que beba, e tem de ser pontualmente, é o da Mimosa, com chocolate, light. De manhã, o pequeno almoço é sempre farinha láctea. Ao lanche mando dia sim dia não o leite mas nos restantes dias, apenas sumo ou água. Como ele gosta de pudins, mousse, arroz doce, podem estes ser opção ou aqui os benefícios do leite são anulados pelo açúcar?"


Algumas crianças, nos primeiros anos de vida, passam por fases em que não querem beber leite e/ou os seus derivados. Quando isso acontece (até lhe costumam chamar "greve aos lacticínios") e a criança não apresenta sinais que façam suspeitar da existência de uma doença (e isso o seu pediatra dir-lhe-á), geralmente trata-se de um mecanismo fisiológico de auto-regulação do metabolismo do cálcio e da gestão que o corpo faz dele. A esmagadora maioria dos nutricionistas e pediatras dizem que nestes casos se deve respeitar as vontades biológicas da criança, desde que estas não correspondam a birras ou caprichos (e para isso a criança vai ter que ingerir cerca de 15-17 vezes o alimento antes de poder ter "autoridade" de dizer que não gosta dele). 

 
Não podemos, no entanto, esquecer que as proteínas e o cálcio são indispensáveis na infância e adolescência para o crescimento e desenvolvimento da massa óssea. Há então que variar, reagindo positivamente, oferecendo-lhe o leite sob outra forma. Existe uma variedade enorme de cereais no mercado, já experimentou vários para perceber se ele gosta de algum (misturado com leite) que não contenha muito açúcar? Papas de aveia ou muesli, por exemplo. Utilize leite para fazer sopas em substituição da água e pode cozinhar os legumes (legumes gratinados com creme de leite costuma resultar), as massas, os purés com leite em natureza ou em pó. Batidos de leite ou vegetais (já tentou vários?), sorvetes caseiros (podendo limitar-lhe o conteúdo calórico), requeijão, cremes gelados, queijo pouco curado e de sabor menos intenso. 
 
Claro que as farinhas lácteas, os pudins, mousses e arroz doce também são uma opção, mas por geralmente conterem açúcar em quantidades exageradas não devem ser consumidos com frequência. E nunca entre as refeições, pois a ingestão de doces antes das refeições principais pode saciar e "tirar o apetite" às crianças com a consequente redução de ingestão de frutos, legumes, carne e peixe ou cereais. Na moderação é que está o ganho.

Na verdade os produtos ricos em sacarose só deveriam ser ingeridos quando fosse preciso uma reposição energética rápida, o que acontece depois de exercício físico vigoroso ou uma crise de hipoglicémia, uma raridade nesta fase da vida. E não nos podemos esquecer das cáries dentárias, da obesidade e diabetes, consequência de um consumo abusivo de açúcar. Mas a glicose (a sacarose que existe no "açúcar de mesa" desdobra-se em glicose) tem um papel muito importante para o organismo pois é o combustível mais rápido e eficaz e essencial para as células do sistema nervoso e sanguíneo. Só os excessos fazem mal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:32


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Helena André a 22.01.2013 às 14:40

Mais uma vez parabéns por este delicioso blog que nos revela o dia a dia de uma família que têm de saber gerir muito bem a sua vida profissional e familiar, revejo-me em muitas situações, em particular neste pequeno apontamento sobre "greve ao leite" a minha filhota de 7 anos sofre deste "mecanismo fisiológico de auto-regulação do metabolismo do cálcio e da gestão que o corpo faz dele" desde os 18 meses pois desde essa altura não consigo enfiar pela aquela goela abaixo um pouco que seja de leite ( o único que ainda bebe a custo é o da escola pois só sabe a água), mesmo os iogurtes só alguns, é um verdadeiro tormento.
Sem imagem de perfil

De Lucente a 22.01.2013 às 10:12

Parabéns pelo blog, antes de mais. Contudo, gostava de fazer uma pequena correcção: os "meninos e meninas intolerantes à lactose" podem continuar a beber leite, leite sem lactose das várias marcas que já existem no mercado; são os meninos e meninas alérgicos à proteína do leite de vaca é que não (e mesmo assim podem até tolerar leite de cabra ou ovelha).
Sem imagem de perfil

De Teresa Guedes a 11.01.2013 às 17:03

O leite não é a maior fonte de cálcio disponível, não sendo necessariamente essencial à dieta de uma criança (como muitos meninos e meninas intolerantes à lactose que nem por isso deixam de crescer saudáveis o comprovam). Até amêndoas e sementes de sésamo têm mais cálcio do que o leite (e ambos podem ser incluídos facilmente em pães ou até bolachas caseiras - em que se controla os açúcares e nem por isso deixam de ser atractivas para os mais pequenitos.)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.01.2013 às 15:02

O pequeno parece comportar-se como os restantes mamíferos conhecidos. Ao que parece somos os únicos que insistem em continuar, e até obrigar-nos, a beber leite de outros bichos. Parece que a necessidade das doses elevadas de cálcio surge para tentar repor os níveis deste, que o organismo liberta quando vai buscar aos ossos o fosfato que está associado ao cálcio para neutralizar a acidez do sangue causada pelo consumo excessivo de carne.

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D