Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Não de se deve apanhar musgo?

por João Miguel Tavares, em 06.12.13

A propósito do meu post anterior, o César Garcia deixou este comentário:

 

O musgo não deve ser apanhado (...) Sugestão, usem relva, ou germinem sementes ou outro tipo de material. O ciclo da água agradece, o solo, os insectos e outros organismos.


Há vários países que têm campanhas nesta altura para protegê-los. É claro que o impacto da colheita de um pequeno pedaço de Hypnum (o mais usado) é minimo, mas as enormes "rapadelas" para comercializar têm fortes consequências.

E eu fiquei um pouco intrigado com isto, porque é a primeira vez que vejo alguém levantar objecções à apanha de musgo. E a ser verdade aquilo que o César diz, não quero andar por aí a prejudicar a mãe-natureza. Há por aí algum ambientalista ou algum biólogo que possa corroborar a opinião do César?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:11


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 06.12.2013 às 23:37

Se o César Garcia que comentou for o César Garcia em que eu estou a pensar, já é ele próprio biólogo (com doutoramento em ecologia) e dificilmente encontrará alguém que perceba mais de musgos em Portugal do que ele.
Sem imagem de perfil

De Quando me encontrares a 06.12.2013 às 16:05

Conhece a "searinha", tradição tão portuguesa?
Resulta muito bem como decoração do presépio, com a vantagem de se acompanhar o seu crescimento.
Sem imagem de perfil

De Quando me encontrares a 06.12.2013 às 16:03

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151713429465947&set=a.103432495946.102211.102621685946&type=1&theater
Eu, bióloga-não-especialista-em-musgo, corroboro!
Espreite o link acima, do Facebook da Parques de Sintra.
Sem imagem de perfil

De Paulo Moniz a 06.12.2013 às 12:35

Lá em casa o musgo tem sido o mesmo nos últimos anos. Como? Seca-se!
Sem imagem de perfil

De Viajante a 06.12.2013 às 12:01

Sou bióloga embora não botânica, mas do meu conhecimento bastante mais limitado do que o do César sobre o tema concreto, posso corroborar o seu comentário.
Boas sugestões essas de encontrar alternativas ao musgo. São espécies muito particulares e, efectivamente, sem querermos podemos mesmo trazer espécies bastante ameaçadas para casa...
Sem imagem de perfil

De César Garcia a 06.12.2013 às 11:44

http://maisbotanico.blogspot.pt/2013/10/os-musgos-as-hepaticas-e-os-antoceros.html
http://www.paramo.org/node/2614
http://www.arkive.org/knothole-moss/zygodon-forsteri/image-A23700.html
http://www.arkive.org/orthotrichum/orthotrichum-scanicum/image-G100617.html
Sem imagem de perfil

De Gisela Oliveira a 06.12.2013 às 11:31

O César é biólogo, e um grande especialista em musgos!
Vá por ele, que ele sabe! :)

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D