Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Para quem vai a última fatia de pizza?

por João Miguel Tavares, em 17.12.13

A Teresa Cruzeiro vive em Espanha e enviou-me via Facebook um anúncio que ela acabara de ver na televisão:

 

 

E a acompanhá-lo vinha a seguinte mensagem:

 

Vivo em Espanha e ontem vi este anúncio na TV e lembrei-me do seu post sobre os sacrifícios familiares... Talvez o anúncio esteja a estereotipar o papel das mulheres-mães. Eu ainda não tenho filhos, mas talvez seja uma coisa de mães - meter a felicidade dos filhos em primeiro lugar... Isso deixa para o homem-pai a "tarefa" de colocar a felicidade da relação (marido-mulher) em primeiro lugar. Também é um trabalho bom...

 

Parece-me uma óptima observação por parte da Teresa - mas dentro do espírito "os homens precisam de mimo", mostra também que o papel dos homens na dinâmica familiar (aquilo a que chamou "a tarefa de colocar a felicidade da relação em primeiro lugar") é muito menos valorizado do que aquilo que merece.

 

Vocês deviam tratar-nos um bocadinho melhor, minhas senhoras. Mas vejam o vídeo, que vale a pena.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:46


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.12.2013 às 18:19

Hoje em dia a expressão "tirar à nossa boca para dar aos filhos" não tem a peso de antigamente, pois nesse tempo era mesmo por necessidade e escassez que tinha de ser feito. Mas claro que ainda hoje, se por algum motivo não houver mais, seja do que for, primeiro é para os filhos! Eu minha casa é assim e penso que em todas as casas.
Sem imagem de perfil

De Inês a 18.12.2013 às 11:07

Este anúncio lembrou-me uma frase que li algures há muitos anos, mas que nunca mais esqueci "só depois de ser mãe percebi porque é que a minha mãe gostava tanto das costas e do pescoço do frango."
Beijinhos
Inês
Sem imagem de perfil

De sandra a 18.12.2013 às 11:25

revejo-me neste video, revejo a minha mae... e as maes que conheço...

um aparte, o pai tb comia e a mae procurava outra coisa para comer dando uma desculpa...

Sem imagem de perfil

De Maria Cruz a 18.12.2013 às 14:07

Nossa essa frase me emocionou, tão simples e tão verdadeira, obrigada por partilhar!
Sem imagem de perfil

De Maria Cruz a 18.12.2013 às 10:14

Acho que em mim, isso é mais algo instintivo do que racional.
Não sou mãe e nem esposa extremosa, meiga, fofinha, nada disso.
Sou bastante histérica, irritada e brigo muitos com eles ( marido e filhos), mas na parte da comida... é que nem pensar, não consigo, é muito mais forte que eu, o melhor é sempre para eles, no doubt about that.
Se tiver pouco, ou acabando, primeiro eles.
Como é instintivo, me custa fazer de outra forma. Se percebo que por acaso, a receita dá pouco e vejo meu marido comendo com gosto, nunca consigo terminar o meu, sempre coloco no prato dele e digo que ¨não estava assim com tanta fome¨ (juro que não sou queridinha) .
Tive uma mãe também nada fofinha, mas que sempre agiu assim e sempre achei normal kkkk ).
Nada a fazer!
Sei que a discussão não é sobre comida, mas aquela cena da pizza me fez ver a mim mesma, cheia de vontade, mas com um peso na consciência de deixá-los sem mais.
Olha, é como engordo menos!kkkkkk
Imagem de perfil

De Laura Ramos a 17.12.2013 às 22:58

Nunca comento, mas hoje aqui vai, embora à margem. Mas sempre dentro da "economia alimentar da família" e dos pequenos "quês" culturais.
A minha Avó comentava, quando os meus filhos eram pequenos ( e já são grandes...) que um dos sinais da mudança dos tempos era o comportamento em relação ao cesto da fruta. Isso mesmo, acreditem... No tempo dela, ficavam para os adultos as peças perfeitas e intocadas, em sinal de incontestada prioridade e respeito. E "agora" (no meu tempo de jovem mãe, já lá vai algum...) as camoesas cabiam às crianças, o centro de todas as preocupações alimentares e o nosso acima-de-tudo. Sempre achei divina esta metáfora, até porque recupera essa coisa caída em relativo desuso do cesto da fruta :) Juro que tenho saudades... :)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.12.2013 às 20:31

Gosto bastante da sua escrita... Passei a gostar ainda mais, depois de ler o artigo de opinião que escreveu no Público acerca da prova dos professores. Como professora com menos de 5 anos de serviço (mas a trabalhar há 7 anos) ainda não decidi se amanhã, vou ou não, à maior humilhação a que fui sujeita. Este cRato acabou com o meu humor, espírito natalício...
Sem imagem de perfil

De sn a 17.12.2013 às 17:00

Aos homens que precisam de mimo digo isto: o anuncio foi feito por um homem sem filhos. Se alguém ficasse sem comer seria de certeza a mulher.

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D