Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Parem de imaginar coisas

por João Miguel Tavares, em 19.12.13

Não, minhas senhoras e meus senhores, estão a ver mal a coisa, não era nenhuma indirecta, nenhum aviso público, nada está a vir a caminho, ok? Quatro já chega, sobretudo para um tipo que não grama bebés e cuja maior ambição é ter uma biblioteca com internet de banda larga numa quinta perdida no meio do Alentejo. A partir daqui, só mesmo animais domésticos. Até porque seria necessário alterar o nome do blogue, e perdia-se a polissemia do "pais de quatro". Nós não queremos uma coisa dessas.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:05


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2013 às 18:21

Eu também não tinha visto a coisa nesses termos, mas há que sonhe com bebés (dos outros...)

(PS - sou mãe de dois (já crescidos, felizmente) e não gramo bebés... se é feio de se dizer? Talvez, sim. Mas é verdade. Apreciar mesmo os meus filhos só mais tarde. Em bebés gostava muito deles, porque.... eram meus!)

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D