Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Batam-me com o Código Penal, sff

por João Miguel Tavares, em 27.02.13
Já várias pessoas sugeriram, nos comentários aos três posts sobre bater nos filhos, aqui, aqui e aqui, que bater nas crianças é ilegal em Portugal (obviamente, não me refiro a maus tratos físicos mas à clássica palmada no rabo). Alguém se importa de desenvolver esse raciocínio, por favor? Tenho interesse na fundamentação jurídica da coisa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:11


24 comentários

Sem imagem de perfil

De SN a 05.03.2013 às 00:25

Acho que não percebeu o que eu quis dizer caro anónimo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.03.2013 às 22:12

toma conta da filha!!!
Sem imagem de perfil

De Unknown a 02.03.2013 às 02:01

Cara SN, dei algumas palmadas no meu único filho, nunca porque me "tivesse saltado a tampa", e menos ainda para que ele deixasse de fazer o que quer que fosse por medo.
Parece-me profundamente errada a cultura do medo. O que a palmada deve sancionar é a falta de respeito, e apenas para que a criança aprenda que o respeito é um valor transversal a todo o relacionamento humano.

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.03.2013 às 09:36

à conta deste assunto das palmadas:

Levei umas boas palmadas e tabefes quando faltei ao respeito aos meus pais e sobrevivi. Não sou nenhuma doida nem traumatizada...Infelizmente,nos tempos que correm, tudo se desculpa às crianças,são porque são seres inocentes. é como a desculpa do " é hiperactivo,coitadinho",quando na verdade, só falta é ducação e normas aos míudos.

Só tentei fazer uma birra na vida, e levei uma palmada no rabo à custa disso. Foi emenda certa, nunca mais berrei ou fiz "cenas" em locais públicos ou em casa. Actualmente, tenho 21 anos ,e agradeço imenso a educação que tive. Deixem-se de mariquices, palmadas é uma coisa, espancamento bruto e imoral é outra. As palavras e persuasão não resolvem tudo, e um açoite não mata.
Sem imagem de perfil

De SN a 28.02.2013 às 14:01

Ui, quem não tem filhos não tem dúvidas relativas a castiigos fisicos! E algumas só devem lamentar nao poder dar uns açoites nos filhos dos outros:)
Sem imagem de perfil

De Antónia a 28.02.2013 às 10:27

Tinha 14 anos e ía com os meus pais no carro, lembro-me de ser um Fiat Tipo, de férias para o Algarve.

O meu irmão de 3 anos ía atrás comigo mas estava a portar-se tão mal, sempre a sair da cadeira, antigamente não havia cinto, era uma braçadeira que subia e descia. O meu pai irritou-se e, mesmo em andamento conseguiu dar-lhe uma sapatado no rabo.

Passados uns quilómetros valentes, já no Alentejo (somos do Porto), na Nacional fomos mandados parar numa operação Stop.

Mal o carro fica imobilizado, o meu irmão não tardou a saltar novamente da cadeirinha, esticou-se todo para a janela do condutor onde estava o meu pai para dizer ao Sr. Guarda, em tom choroso:

O meuuuu paiiiii bateu-meeeeeee!

Bemmm, ficamos os 3 boquiabertos e de sorriso amarelo, culposos ou não, mas o Guarda também não conseguiu disfarçar um sorriso, e mesmo sem fazer referência pediu os documentos ao meu pai, e prosseguimos a viagem perdidos de riso e a dizer:
- Óóó Afonsooo, então foste fazer queixa do papá… ?!!?

Ahahahahhahhahah
Sem imagem de perfil

De Ana a 28.02.2013 às 09:52

Eu concordo com o que tem dito aqui, João. Tenho duas filhas e as duas tiveram de apanhar na hora certa. A mais velha tem 7 anos acabados de fazer e não me lembro da última vez que lhe dei uma palmada. A mais pequenina ainda vai levando de vez em quando, mas nem é com força, é mais a atitude que os faz ver que o que estão a fazer é errado. E aos moralistas que defendem que não se deve bater nas criancinhas e que o melhor é educá-los com base em palavras, eu tenho uma novidade:
A mãe do Ruca não existe.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.02.2013 às 09:42

Subscrevo na integra o post da SN. E sim uma palmada no momento "certo" (e penso que todos os pais sabem aos quais me refiro) é "educativa". Depois uma conversa "séria", tendo em conta a idade da criança...ajuda. Há limites que têm de ser impostos desde a mais tenra idade. A permissividade total nunca dá bons resultados...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.02.2013 às 01:13

Apre, obrigadinha pela transparência e sinceridade. Estava a ver que toda a gente planeava muito racional e ponderadamente dar chapadas aos garotos para garantirem a sua boa educação... Bem, haver quem pense assim até há. Poucos comentários acima há uma Sara que ainda nem teve filhos e já lhes está a prometer chegar com a mão ao pelo. Nem que não "precisem". Agora me recordo... Tenho uma amiga que aquando do nascimento da minha filhota me recomendou "porrada preventiva". Eu achei um piadão! Mas pensando bem... Será que ela não estava a brincar? :P (Ana)
Sem imagem de perfil

De SN a 27.02.2013 às 23:54

Parece me que muita gente tem contextualizado a palmada num quadro mental do pai ou da mãe sereno, consciente e muito pedagógico.
Dei acoites nos meus filhotes mais vezes do que queria e acho que nunca de cabeça fria. Penso que estava sempre no que chamo de momentos 'mãe psicopata'. Momentos raros, graças a Deus.
E de facto resulta. Os putos vêem a mãe completamente passada da cabeça, ficam com muito medinho da mãe monstro e param com o comportamento.
Invariavelmente fico com peso nas consciência, de mau humor por muitas horas e que por vezes em lágrimas.
Fico a remoer por ter perdido a paciência e não ter procurado formas de dar a volta a situação.

Comentar post


Pág. 1/3




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D