Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Tão perto, tão longe

por João Miguel Tavares, em 03.03.13


Eis o meu texto de hoje na revista do CM, escrito com a língua de fora:

Acabada a licença de maternidade, a Teresa voltou ao trabalho no hospital, e com isso o frenesim da nossa família deu mais um passo em direcção à estratosfera. Estas fases em que há um filho muito bebé para criar enquanto se trabalha de sol a sol é de uma tal violência física e psicológica que às tantas já não sabemos em que terra andamos. Junte-se a isso um par de viroses típicas do Inverno, com febres nocturnas e miúdos obrigados a ficar em casa, um bebé com o nariz mais entupido do que a rotunda do Marquês à hora de ponta, e um bando de filhos a acordar em cânone (agora acorda um, cinco minutos depois outro, 10 minutos depois o terceiro, e por aí fora), e o que acontece é um homicídio em massa de neurónios e de paciência – nada é mais duro do que estar a adormecer e a acordar em constante intermitência, num pára-arranca de sono que arrasa qualquer um.

Isso reflecte-se em tudo: na paciência para aturar os filhos, na paciência para eu e a Teresa nos aturarmos um ao outro, ou na simples incapacidade para termos uma conversa com princípio, meio e fim (...).

O resto do texto pode ser lido aqui. A ilustração é do José Carlos Fernandes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:32


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria João Resende a 09.03.2013 às 01:06

Força, João! O que custa mais são os primeiros 18 anos ... de cada um;)! Tomo a liberdade de lhe colocar aqui um link para uma colecção de livros que eu acho que é completamente a vossa cara. Será que conhecem?? Têm quase tanta graça como vocês ;) http://www.editorial-bizancio.pt/coleccoes.php?col=15&id=247 Espero que gostem!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.03.2013 às 23:26

Afinal é assim com mais familias além da minha... Ceus!!! Acpordar de 15 em 15 minutos é o que me mata!!! Mas morro feliz!Elas são uns doces... Agarra-te ao mastro João...! :)
Sem imagem de perfil

De Bentinha a 04.03.2013 às 15:46

Estive a ler o artigo todo, adorei :) é tal e qual como diz, e a tempestade há-de passar. Parabens pelo artigo.
Sem imagem de perfil

De Bentinha a 04.03.2013 às 15:38

Meu deus, é a loucura. Tambem sei o que é isso, mas em modo mais contido, são "só" dois, com 11 anos de diferença.Não é fácil.Tambem partilho da opinião em que os poucos neurónios vivos a certas horas, acabam por desaparecer :)
Força aos pais de quatro.
Sem imagem de perfil

De Sandra Barradas a 04.03.2013 às 11:58

Pois esta coisa de acordar de noite tb me mata mesmo! Chego a pensar que nunca mais vou dormir mais que 3 horas seguidas
Sem imagem de perfil

De Viajante a 04.03.2013 às 10:45

Toda a minha solidariedade e agradecimento por ver que há mais no mundo quem nos compreenda e partilhe das nossas rotinas.
Sem imagem de perfil

De Luísa Santos a 04.03.2013 às 10:00

Muito obrigada por nos fazerem sentir uma família tããooo normal!

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D