Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Relato das férias #2

por João Miguel Tavares, em 11.08.13
Quando se está em viagem, a McDonald's é uma das melhores amigas de todos os pais, tanto em termos de carteira, como na capacidade de comer rápido sem ouvir protestos das criancinhas. E em Madrid tivemos três boas surpresas num restaurante McDonald's onde fomos jantar, que bem podiam ser importadas para cá:

1. Desde logo, a preocupação com o glúten é muito maior do que em Portugal. O Tomás tem alguma intolerância, e tanto na McDonald's, como, por exemplo, nos cartazes dos gelados da Frigo (correspondente à nossa Olá), a indicação de "sin gluten" está bem expressa em todo o lado, e tem inclusivamente direito a um ícone próprio.

2. À entrada do restaurante temos informação de desconto para a Associação de Família Numerosas de Espanha, num autocolante com imenso destaque. Outro bom exemplo que deveria ser rapidamente copiado.


3. Adorámos uma das sobremesas de fruta que eles têm para os miúdos: melancia cortada e espetada num pau de gelado. Chamam-lhe Happy Sandía ("sandía" é melancia em espanhol, e dá para fazer um trocadilho com o clássico gelado sundae), e embora os nossos miúdos até não sejam muito de melancia, o resultado é tão giro e inesperado que eles não resistiram. Queremos em Portugal!



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:11


28 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.08.2013 às 22:15

Quem tem um filho bebé que não cresce, que vomita tudo o que come, que tem diarreias frequentemente quando lhe dizem que a criança tem a doença celíaca e que é necessário retirar o glúten e a partir daí vê o seu filho a crescer e sem estes sintomas, percebe o que é a doença celíaca e percebe que não pode mesmo comer glúten nenhum. sente até um certo alívio por se ter encontrado a origem do problema.
Mas mesmo aqueles que acusam de terem a mania da dieta sem glúten eu acho que estão no seu direito, tal como todos têm direito a escolher o que querem comer, não são obrigados a comer o que toda a gente come. viva a liberdade de escolha e o respeito pela diferença.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.08.2013 às 21:23

Porquê que as pessoas que procuram literalmente não engolir tudo o que toda a gente engole, só porque sim, porque se informaram, porque acreditam que certos alimentos fazem mal à sua saúde e procuram alternativas são vistas como fanáticas, paranóicas, etc.? "(...) a paranóia do glúten na verdade atinge muitas pessoas que não são celíacos (...)"? A Sr.ª Alexandra já tentou informar-se em que se baseia a "paranóia do glúten", antes de se sentir ofendida (esta parte foi a que eu gostei mais!)para então falar sobre o assunto?
A minha filha é alérgica ao glúten e se é verdade que, inicialmente, essa realidade trouxe alguma confusão à dinâmica familiar, por outro lado trouxe a oportunidade de encontrar alternativas alimentares tão ou mais saborosas que as habituais. E sabe que mais? Muitas vezes fico aliviada pela minha filha ter de levar uma marmita de casa para as festas de aniversário que frequenta, porque cada vez mais essas festas são um verdadeiro atentado à saúde pública...Em casa ainda consumimos, à excepção da minha filha que é alérgica, alguns produtos com glúten (pão essencialmente), mas percebo perfeitamente porque é que não é preciso ter alguma patologia diagnosticada a este nível para querer evitar o trigo (principalmente).
Não vou elucidá-la acerca da "paranóia do glúten" Alexandra, até porque acredito que nestas coisas não há porque doutrinar ou convencer os outros: cada um sabe de si, de como leva a sua vida e do que como. A informação está aí para quem quiser procurar e quem quiser ter cuidado com a sua saúde e a saúde dos seus, mas acho injusto que quem não quer sair da sua zona de conforto fique picado por quem tem coragem de ir contra a maré e procure rotulá-los de paranóicos ou até coisas piores...
Sem imagem de perfil

De tostamista a 21.08.2013 às 16:01

Bolas, larguem lá a Margarida. Medo.
Sem imagem de perfil

De Mel a 18.08.2013 às 17:03

Tenho um amigo celíaco e, certa vez, numas férias passou mal a noite, com vómitos. Conclusão: na noite anterior jantamos um arroz e, provavelmente, a cozinheira confundiu as colheres, usando a mesma para mexer o nosso arroz e o dele. Uma coisa tão pequena e foi suficiente para o deixar mal. Mais: não se trata de uma questão de excessiva preocupação com as crianças, porque ele tem 23 anos e só há 4 foi diagnosticado, quando começou a vomitar sempre que comia certos alimentos.

A ignorância é um entrave: cultive-se, Margarida.
Sem imagem de perfil

De bolachas a 17.08.2013 às 23:04

Srª Margarida,
Isto não é politica !!!
De tudo o que escreveu fica apenas esta frase:

""Àqueles que inadvertidamente incomodei, as minhas desculpas.
Nunca mais voltará a suceder.""

Não tente branquear o seu infeliz comentário com mais este comentário , ainda me vai fazer acreditar que afinal ser celíaco, alérgico ou intolerante ou glúten é mesmo modernice !!!
Sem imagem de perfil

De Alexandra Dinis a 17.08.2013 às 18:21

Queridos comentadores. Como bem sabem " alguma intolerância ao glúten" ou " cisma do glúten" não são expressões que entrem no universo dos celíacos. A doença celíaca ou se tem ou não se tem, e quem a tem não podem ingerir glúten nunca, nada. O comentário é para os outros, os que não têm nem doença celíaca nem alergia e são vítimas das modas e dos tempos, não para vocês.
Sem imagem de perfil

De Alexandra Dinis a 17.08.2013 às 17:32

Acho que o comentário da Margarida, mesmo que o tenha feito sem conhecimento do que é a doença celíaca ou alergia ao glúten (não é bem a mesma coisa)está certo. Talvez se tenham apercebido já, que a paranóia do glúten na verdade, atinge muitas pessoas que não são celíacos, e não têm doença nenhuma. Sabendo do dificil que é manter sempre a dieta e dos desafios que os celíacos enfrentam no seu dia a dia, ver pessoas sem problemas fazer alarde deles é para mim mias ofensivo. Aliás um mãe de uma menina celíaca que conheço, ao ver no infantário outras duas, sem doença, e cheias de manias dizia-me isso mesmo: Como é que elas podem? Se soubessem...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.08.2013 às 16:02

A minha filha não é celíaca mas é alérgica ao glúten, portanto, em termos práticos vai dar ao mesmo: não pode ingerir nada que contenha esta proteína como o pão, bolos, bolachas e outros alimentos que nem imaginamos e que contém glutén. Ainda assim e mesmo sabendo que a Mc e outras cadeias têm essa "preocupação" não são, nunca, uma opção (em férias ou fora delas) para levar as minhas filhas. E porquê? Porque se hoje em dia existem cada vez mais doenças como as mencionadas anteriormente (alergias, cancro, obesidade, diabetes e outras)e que afectam cada vez mais os nossos filhos, é porque o conceito de alimentação que assenta em práticas pouco sustentáveis de agricultura, produção e confecção (e que vê o seu apogeu em cadeias alimentares como a Mc e outras que tais)ganhou cada vez mais admiradores nas nossas famílias. Mesmo que não façamos disso um hábito, hoje em dia praticamos hábitos que terão partido desse conceito de alimentação: comprar feijão seco ou grão de bico cru? para quê, se temos os enlatados? Comprar legumes REALMENTE frescos? para quê? se já temos os temos cortados e lavados em sacos? nunca foi tão fácil fazer saladas é abrir o saco deitar na travessa e já está! Não interessa se os produtos provém de agricultura cheia de químicos, não interessa se a sua forma de confecção viola todos os princípios de uma alimentação minimamente saudável. O que interessa é que é rápida, apelativa ao paladar (dizem eles e convenceram a maioria das pessoas que assim é)e as crianças adoram, independentemente do custo que isso terá à sua saúde e à saúde do planeta.
"Uma vez de vez em quando, não faz mal nenhum”, oiço tantas vezes, ainda assim quando vou de férias prefiro procurar e dar a conhecer a comida local, diferentes sabores, texturas, etc. Se não gostam? Ponham no canto do prato... de certeza que quando a fome apertar a cantiga será diferente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.08.2013 às 10:52

Bem, se calhar já se justificava um post de "A Mamã é médica" sobre DC, para não haver desculpas para mais confusões e comentários infundados.
;-)
Sem imagem de perfil

De RITA a 14.08.2013 às 01:31

Tanto as cenouras como o abacaxi são bons . Normalmente substituo as batatas por cenouras .( só às çrias mais novas)

Comentar post


Pág. 1/3




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D