Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Amamos Tiago

por João Miguel Tavares, em 06.02.13
Tiago Cavaco, além de ser pastor protestante, autor de um dos melhores (e mais antigos) blogues que por aí andam e pai de quatro filhos, é também músico. Sob o nome de Tiago Guillul já colecciona um generoso conjunto de bons discos, mas nenhum tão bom quanto Amamos Duvall, 24 canções (é um duplo álbum) que são a melhor coisa que tenho escutado em 2013.


O disco, infelizmente, e ao contrário de outros, não tem distribuição comercial na Fnac (porquê, meu Deus?), e só consegui comprar o meu exemplar na Flur (em Santa Apolónia, ao lado da Bica do Sapato). Mas claro, é sempre possível adquiri-lo através do site da FlorCaveira por cinco minúsculos euros, ou escutá-lo (e fazer download) através do bandcamp da mesma editora.

Mas se trago para aqui este disco é pela forma como os filhos do cantor e a temática familiar são incorporados neste trabalho. Há músicas tão denotativas como "Faz Filhos", que começa com Tiago a declarar "canções sobre fazer amor é banal, mas canções sobre fazer filhos é outra coisa, é ouvir o baralho à volta", e cuja letra diz tudo:

"Constituir família é a suprema rebeldia
Porque o Planeta aguenta e quem só tenta já se orienta

Recuperando em Abraão o embalo da sobrepopulação
Conquistas fabulosas através das famílias numerosas."

Um hino à multiplicação da espécie não é coisa que se ouça todos os dias. Mas, ainda melhor que "Faz Filhos", é a extraordinária "Sirenata" (alguém que faça um teledisco, ou até um videoclip, desta canção, sff), onde se revela todo o génio de Tiago como produtor. A maneira como as gravações caseiras dos filhos são interligadas com a música é de se lhe tirar todos os chapéus que tivermos na cabeça.

Ouvir o artista Tiago a pedir a um dos miúdos para se calar porque agora tem de cantar o refrão da canção é a mais bela homenagem às atribulações paternais que um pai de quatro, como eu, poderia algum dia escutar. Sinto-me tantas vezes assim, tal qual o minuto 2'16'': "Espera aí, agora espera!" E lá vem disto: 

"Onde não há diva, há saliva
Onde não há ouro, lata
Na tontura falha o tom
mas nasce a sirenata"

Sim, sim, é mesmo assim. Grande Cavaco, que tanto me tem animado os dias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:46


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Mendonça Tavares a 07.02.2013 às 15:31

Sim, por causa do actor Robert Duvall. É escutar a segunda faixa do primeiro disco. Também está disponível online. E ver um filme chamado "The Apostle".
Sem imagem de perfil

De Antónia a 07.02.2013 às 14:53

Acho que, pelo que li, que é mera inspiração e gosto pelo trabalho deste senhor. :)
Sem imagem de perfil

De Antónia a 07.02.2013 às 14:48

Estou a ouvir as músicas através do link que indicou mas…
porquê, ou qual a razão do nome do album ser Amamos Duvall? O actor, certo?

Fiquei curiosa…

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D