Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





E beijar os filhos na boca? Pode-se?

por João Miguel Tavares, em 24.11.14

Antes que comecem a acusar-me, após a mega-polémica da amamentação, de me estar a transformar no Bloco de Esquerda da vida familiar - por aqui, é só temas fracturantes -, devo dizer-vos que a pergunta não é minha, mas da leitora Ana, que me desafia a opinar sobre dar beijos na boca dos filhos. E acrescenta:

 

Não acho nojo, mas incomoda-me.

 

Este "não acho nojo" é uma resposta directa ao conteúdo deste post da Joana Paixão Brás, no blogue A Mãe É que Sabe.

 

Eu não só não acho nojo como até acho fofinho de ver, pelo menos nos filmes de Hollywood. Mas pessoalmente não pratico. Até porque não saberia em que altura da vida parar. Se em 2020 alguém me apanhasse na rua a dar chochos a uma miúda de 16 anos corria o risco de acharem que não era minha filha - o que daria problemas em casa.

 

Mas parece que a questão começa a discutir-se em muito lado, incluindo nos países onde beijar na boca é habitual.

 

658380_3513306_ver1.0_640_480.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:59


122 comentários

Sem imagem de perfil

De André a 24.11.2014 às 22:08

Acho péssimo hábito.
Desconfio que introduziu este tema para distrair a malta do assunto Sócrates.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.11.2014 às 21:49

São uns badalhocos!!!
Sem imagem de perfil

De Shmuel a 24.11.2014 às 21:00

Em criancas, ainda e' aquela. Mas em adultos acho meio estranho. Tinha uma familia inglesa minha amiga em que o sobrinho, ja' homem, beijava o tio na boca
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.11.2014 às 19:19

Há muito tempo que não lia tanto dislate como nos comentários aos posts da amamentação, sobretudo de malta (eles e elas) que nunca amamentou na vida, nem há-de amamentar, mas que têm muito que opinar, condenar e julgar. Os comentários a este post já ameaçam chegar ao mesmo nível de ridiculo. Cada um sabe de si. Nojento é espancar as crianças, é expô-las a violência fisica e verbal, é não lhes dar atenção nem carinho nem amor. Pouco higiénico é não lhes dar banho, nem lhes vestir roupa lavada, nem ter a casa minimamente asseada. Não fui habituada a dar beijos na boca aos pais, aliás a beijos nenhuns, nem a abraços nem a grandes demonstrações de afecto ( para os meus pais o mimo estragava). Nunca vi os meus pais nus. O meu pai já morreu. Apesar de ser próxima da minha mãe não tenho contacto fisico com ela, não a abraço e beijo-a formalmente. A minha mãe tem problemas de saúde e quando está mais debilitada fica na minha casa, eu não consigo encarar com naturalidade a possibilidade de ter de a ajudar, por exemplo a tomar banho, isto porque nunca houve uma relação fisica de carinho e cumplicidade entre nós e atualmente, com 44 anos, não consigo ultrapassar isso, e dá-me pena. O meu "eu" enquanto filha é diferente do meu "eu" enquanto mãe. Como mãe tento criar os meus filhos sem grandes espartilhos. Sempre tivemos uma relação fisica de afecto e carinho com muitos beijos e abraços, com beijos nos lábios, tomamos banhos juntos (agora já não porque já são crescidos, já tomam banho sózinhos e já não é prático) mas não tenho problemas que me vejam nua (ou ao pai), nem eles acham isso esquisito. Cada um é fruto da educação que teve, ou da que quer ter ou dar. A maioria dos nossos hábitos são culturais, cabe-nos a cada um decidir o que é melhor ou natural para si sem andar sempre a julgar e a catalogar os outros. Para mim não é natural ver a minha mãe nua, nem que ela me veja a mim, para ser sincera nem a minha irmã, mas é natural para mim os meus filhos verem-me nua e eu vê-los a eles mesmo quando forem adultos.
Sem imagem de perfil

De Carla Marques a 24.11.2014 às 19:25

Subscrevo totalmente este comentário.
Sem imagem de perfil

De Jorge Gabriel a 24.11.2014 às 22:07

Excelente comentário!
Concordo plenamente.
Deixem-se de falsos moralismos...
Sem imagem de perfil

De Liliana Soares a 24.11.2014 às 22:16

Concordo plenamente consigo, o que importa é o carinho, afeto e amor q temos e demonstramos pelos nossos filhos. O resto são detalhes.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 09:06

Este comentário poderia ter sido escrito por mim. Tirando a parte do pai já ter falecido, a minha relação com os meus pais é do genero da sua e com os meus filhos também.
Não há vergonhas, há proximidade física. E é assim que eu quero que seja.
Sem imagem de perfil

De Joana a 26.11.2014 às 00:43

E para ter esse contacto fisico, de que fala, com a sua mae, seria necessário beijos nos lábios?! Eu tenho contacto físico com a minha mãe, uma excelente relação de amizade, abraço-a e beijo-a sem formalismo... mas não a beijo na boca (ou nos lábios), nunca beijei. Beijo na boca, os lábios, apenas ao meu marido.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2014 às 18:04

Olhe que bom para si. Onde é eu disse ou dei a entender que precisava de beijar a minha mãe nos lábios para ter contacto fisico com ela? Ganhe juízo e aprenda a ler e deixe-se de preconceitos e ideias feitas para ajuizar sobre os outros. Relatei duas realidades diferentes em relação à mesma pessoa (eu), dois pontos de vista diferentes sobre o mesmo assunto no mesmo sujeito (eu). Releia, que não lhe faz mal nenhum e vai ver que não estou a fazer nenhuma evangelização nem a dizer como é que você deve agir. Saúdinha, sim?
Sem imagem de perfil

De Joana a 26.11.2014 às 21:42

E onde está no meu comentário juízos sobre os outros ou manifestações de preconceitos?! Volte a reler o meu comentário, que também não lhe faz mal nenhum! Relatei uma realidade diferente da sua (a minha) e o meu ponto de vista sobre amizade e carinho entre mãe e filha sem beijos na boca/lábios (uma relação com muitos abraços, mimos e beijos!).

...e não seja tão azeda... aproveite estes espaços de discussão para reflexões sobre pontos de vista diferentes! Saudinha, sim?! (sem acento agudo, ok?)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2014 às 22:57

Adorei o seu comentário. Releia-o e aja em conformidade. Você não relatou nada. Interpelou-me e comparou-se comigo numa perspectiva de superioridade moral, dando a entender que eu disse uma coisa que não disse e que aliás, nem sequer penso. A sua pergunta foi : "E para ter esse contacto fisico, de que fala, com a sua mae ( sem til, porque fiz copy/paste do seu comentário), seria necessário beijos nos lábios?! ". Eu afirmo isso nalgum lado? Nem sequer opino.Depois conta o seu caso (modelo) e ainda me informa quem é que beija na boca, como se isso me interessasse e contribuísse alguma coisa para as "reflexões de pontos de vista diferentes". Para terminar, ainda me chama azeda o que contribui também imenso para a elevação da discussão e para as tais "reflexões de pontos de vista diferentes". Eu sou azeda e você é mal educada. E não se dê ao trabalho de responder porque para mim isto acaba aqui. Beijinhos
Sem imagem de perfil

De Joana a 27.11.2014 às 00:07

Com certeza, houve ali um lapso. Como não faz juízos de valor, devia querer dizer "Eu sou azeda e mal educada". Porque eu não sou. Boa noite. Fique bem.
Sem imagem de perfil

De Gabriela Marques a 24.11.2014 às 18:57

Olha que post engraçado ... Olha João eu ca tenho 27 anos, ainda não tenho filhos, mas ainda hoje o meu beijinho à minha mãe é na boca e igual à minha irmã que tem 20 anos e ao meu pai também :) a minha mãe e o meu pai têm ambos 51 anos... não vejo nada de sexual neste nosso beijinho... mas pronto cada um é como cada qual ...
Sem imagem de perfil

De Tânia a 24.11.2014 às 18:49

Acho nojento, não é nada pessoal, mas isso de dar beijos na boca de crianças é estranho ...
Os meus pais nunca o fizeram, talvez por isso ache que beijos na boca é algo mais para o "sexual" do que carinhoso.. Respeito quem o faz, mas eu não sou muito apologista dessa prática.
Sem imagem de perfil

De Ana a 24.11.2014 às 22:41

Lá está este adjectivo "nojento". Acho que aqui é que está o problema. Já viu uma foto de uma mãe e um filho a dar um beijinho nos lábios (que por acaso calhou a ser nos lábios, porque se todos forem como o meu, os beijos tanto podem ser no nariz, no queixo, nos olhos e ás vezes lá calha nas bochechas)? Achou mesmo, de verdade, nojento? Nojento? Desculpe a sinceridade, mas se achou mesmo n-o-j-e-n-t-o algo se passa de muito errado consigo.

Sem imagem de perfil

De Tânia a 24.11.2014 às 23:40

É a minha opinião, eu acho nojento sim, respeito quem o faz, pois com os outros posso eu bem, no meu seio familiar não o faço, se para si é giro problema seu.
Agora não me venha para aqui atacar nem dizer que se passa algo de errado comigo pois se não consegue lidar com uma opinião diferente da sua, algo se passa de errado consigo.
Boa noite!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 00:03

Eu acho a sua opinião esquisita, Tânia. Suponho que ninguém esteja a falar de linguados, mas do "selinho". É a minha opinião, espero que a respeite.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 10:13

Ver estas questões pelo lado do "giro" já dá uma ideia dos argumentos. Os pais têm de contribuir para o bom e sadio crescimento dos filhos, não têm de ser giros.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 09:25

achar que um beijo na boca a uma criança "é algo mais para o sexual" é que é muuuuuuuuuuito estranho...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 09:46

Muito estranho, mesmo!
Sem imagem de perfil

De Tânia a 25.11.2014 às 10:42

O que eu quis dizer, e secalhar não me expliquei bem, o dar beijo na boca é mais "sexual" pois acontece entre marido e mulher.. E por isso utilizei " "!
God, ou não sabem ler, ou não percebem português ou não sei.
Pela milésima vez, eu respeito quem o faça, mas Eu (eu Tânia, não vocês, EU) acho nojento, pelas bactérias que são transmitidas. Porque acho que há outras maneiras de mostrar carinho/amor/afecto.
Pf respeitem, e é definitivamente a última vez que comento neste blogue, pois já percebi que vocês não se encontram abertos a opinião. JMT desculpe, não é nada consigo, adoro o seu blogue, mas não acho que tenha feito um comentário tão descabido para isto.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.11.2014 às 11:12

Não é nada estranho. Estranho é não perceber o comentário da Tânia. Claro que é mais sexual do que os outros. Ou cumprimenta os seus colegas de trabalho com beijos na boca? Não cumprimenta, pois não? A Tânia tem toda a razão em dar a opinião dela e muitos de nós concordamos.
Sem imagem de perfil

De Ana a 24.11.2014 às 17:27

Somos uma família de abraçadores e beijoqueiros, de beijos na boca. À porta da escola, ele, que tem cinco, ainda me beija na boca com grande à-vontade; ela, com 9, começou recentemente a oferecer-me a face para o beijo de despedida. Mas, ao deitar, se porventura lhe dou um beijo na bochecha ouço logo um "então?!" ;)
Sem imagem de perfil

De Carla a 24.11.2014 às 14:58

Nós lá em casa temos um rapazola de 8 anos e uma menina de 3 anos.
E apesar de nas nossas famílias não existir esse hábito nós damos beijinhos nos lábios dos nossos filhos. Nem sei como começou... Simplesmente damos. E os dois sabem que beijinhos nos lábios só aos Pais. E aos namorados/as quando chegar a altura.
E eles não andam por aí a tentar dar beijos na boca a ninguém.
E eu acho que cada beijo é um beijo e apesar de fisicamente ser igual os intervenientes do mesmo alteram todo o seu significado.
E não tentem sexualizar o que é uma pura demonstração de carinho entre pais e filhos... e que terminará, a meu ver, assim que eles se sintam constrangidos ou incomodados... tal como começou irá acabar sem dramas...
(alguns comentários referiam beijos com língua... estavam a falar do quê??? língua entre pais e filhos??? Isso não entendo nem concebo fazer... estamos a falar de outro campeonato certamente...)
Sem imagem de perfil

De CMR a 24.11.2014 às 14:57

Falo por minha experiência de mãe e filha.

Desde miúda que cumprimento o meu pai com um beijo na boca, mas nada de chochos, entenda-se, é mais um encostar de lábios. À minha mãe e irmã, não o faço, mas temos um beijo especial em que uma de nós beija a ponta do nariz e a outra o queixo. E eu já tenho 35 anos, a minha mãe 60 e o meu pai 70.

Agora que sou mãe, nunca tive a ideia de instituir um beijo na boca às minhas filha, mas a mais velha, agora com 6 anos começou a despedir-se de mim assim. E mesmo quando tento contrariar ela faz menção de me dar um beijinho na boca.

Isto para dizer que, na minha opinião, um beijo na boca entre pais e filhos poderá ser uma forma de manter uma intimidade familiar no cumprimento entre pais e filhos. No entanto, nunca pensei muito nisso, à excepção de agora que estou a comentar este post. Sempre me pareceu natural entre família (entenda-se pai, mãe e irmã).
Sem imagem de perfil

De Simplesmente Ana a 24.11.2014 às 14:35

Não acho que seja prática comum na adolescência. Pelo menos, não me lembro de ver nenhum pai/mãe a fazer isso. É mais comum na idade da inocência, enquanto são pequenos.

Comentar post





Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D