Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Falemos de orgasmos

por João Miguel Tavares, em 20.05.14

Ora aqui está um título que sempre sonhei fazer. E que agora vem totalmente a propósito devido a um interessantíssimo estudo que vem lançar novas luzes sobre as razões por que as senhoras resolvem fingir orgasmos.

 

A novidade é esta: afinal, fingir um orgasmo - e, segundo consta, 65% das mulheres já o fez, sendo possível que as restantes 35% estejam a mentir - não tem necessariamente de ser encarado numa perspectiva negativa, em que há uma senhora malévola que está a aldrabar descaradamente um senhor esforçado, embora incompetente.

 

Depois de terem interrogado 481 estudantes universitárias americanas heterossexuais, os autores do estudo decidiram dividir da seguinte forma as suas respostas acerca das razões que as levaram a fingir orgasmos: 

 

1) Engano Altruístico, ou seja, as senhoras fingiram o orgasmo para fazer o parceiro feliz e evitar que ele ficasse destroçado e com sentimentos de culpa (o que é bonito).


2) Medo e Insegurança, ou seja, fingiram o orgasmo porque sentiram vergonha de mostrar que não o conseguiam atingir (o que é triste, mas compreensível).


3) Elevação da Excitação, ou seja, fingiram o orgasmo para ficarem mais excitadas e assim melhorar a intensidade do sexo (o que é de aplaudir).

 

4) Interrupção Sexual, ou seja, fingiram o orgasmo porque estavam cansadas, pouco divertidas e queriam acabar com aquilo depressa (a razão clássica).

 

Portanto, tirando esta quarta categoria, que eu diria ser a forma tradicional como até aqui o falso orgasmo era encarado, todas as restantes categorias têm sentimentos bonitos atrás de si e lançam um olhar bastante positivo sobre o orgasmo fingido das mulheres.

 

O que significa que esta cena - o mais famoso falso orgasmo de toda a história do cinema, como se sabe - tem de começar a ser olhada ainda com maior respeito. Grande Meg Ryan:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:08


12 comentários

Sem imagem de perfil

De mae sabichona a 20.05.2014 às 15:09

Ahahahaha, só sei que tenho a certeza que 100% das mulheres não é :)
Sem imagem de perfil

De Rita a 20.05.2014 às 15:07

Não esquecer que a grande maioria das mulheres, faz amor com a cabeça, logo, se algo não estiver no relacionamento, tem dificuldades em não se distrair com maus pensamentos, o que acaba com qualquer orgasmo.
Sem imagem de perfil

De Carlos Duarte a 20.05.2014 às 16:54

"a grande maioria das mulheres, faz amor com a cabeça"... errrm, se calhar é melhor trocar cabeça por cérebro ou pensamento. :P
Sem imagem de perfil

De rita a 21.05.2014 às 11:00

Peço desculpa, por não escrever e falar utilizando um melhor português, nem todos tivemos oportunidade ou inteligencia para adquirir conhecimentos que o permitam. Mas mesmo com este mau portugues percebeu lindamente a mensagem que transmiti.
Sem imagem de perfil

De Carlos Duarte a 21.05.2014 às 11:30

Claro que sim, não ponho isso eu causa! Dado o assunto, foi apenas um comentário jocoso.
Sem imagem de perfil

De Rita a 20.05.2014 às 15:01

Na minha humilde opinião, exitação e prazer, ou seja, antes de atingir o dito ORGASMOS "NEM SEMPRE SE ATINGE", é quase tão bom como o orgasmo e pelo menos dura mais tempo.
Sem imagem de perfil

De Maria Cruz a 20.05.2014 às 13:11

Um dos melhores diálogos do Seinfeld:

https://www.youtube.com/watch?v=rLg1k4I9fqk

Só um pouco mais de um minuto, vale a pena!
Sem imagem de perfil

De Bruxa Mimi a 21.05.2014 às 21:41

"Fake. Fake. Fake. Fake." Poor Seinfeld! ;-)
Sem imagem de perfil

De David Cabanas a 20.05.2014 às 11:34

Grande desempenho da Meg Ryam...sem dúvida!!!! Quanto ao resto é dificil ligar a palavra "fingir" com "sentimentos bonitos"...prefiro sempre a sinceridade!!!!
Sem imagem de perfil

De Maria Isabel Machado Prata a 20.05.2014 às 10:54

segundo um estudo americano 65 % de mulheres num universo de 481 estudantes universitárias americanas...
Sem imagem de perfil

De Marisa Montes a 21.05.2014 às 02:59

?
Sem imagem de perfil

De Isabel Prata a 21.05.2014 às 09:11

Exactamente, Marisa, é uma questão de amostra e essa amostra apenas poderá ser representativa das mulheres universitárias americanas. Estatística.

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D