Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Grande Keira Knightley

por João Miguel Tavares, em 07.11.14

Keira.jpg

É por isto que eu gosto desta gaja:

 

“Foi uma das sessões [fotográficas] em que eu disse: ‘OK, não me importo de fazer a foto em topless desde que não as tornem maiores ou façam algum retoque’. Eu não tenho mamas. Não é preciso levantar problemas por causa disso.”

 

“Já tive o meu corpo manipulado tantas vezes por tantos motivos diferentes, seja fotógrafos paparazzi ou em cartazes de filmes. Os corpos das mulheres são campos de batalha e a fotografia é uma das culpadas."

 

Pode sempre dizer-se que para ela é fácil falar. Mas a verdade é que muito poucas falam.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:58


39 comentários

Sem imagem de perfil

De Alexandra a 21.11.2014 às 14:43

Acho a Keira K. uma das mulheres mais sensuais que anda por ai. Com a sua consitituição estreita, magra, sem peito - assim toda ela! Ela é super sexy na sua atitude que nada tem a ver com curvas, roupa justa - não precisa.
De acordo com o comentário de outro leitor sobre o jeito dela abrir/mexer o lábio inferior ;)
Sem imagem de perfil

De Bloco Negro a 11.11.2014 às 12:11

Eiiii...com o que o pessoal se entretem.
Este País é uma maravilha, aliás, é o País da Alice.
É opinion makers por todo o lado, precebem de tudo.
O País está de tanga, a emigração disparou, tudo aumentou, tudo rebenta pelas costuras, mas o importante é o corpo da Keira Knightley.
O corpo dela é que importante. Depois veem as frustrações, das meninas que rejubilam...FINALMENTE ALGUÉM que se decide mostrar como é. Mais ou menos os Gays e aquela mania de se querer afirmar e ai daquele que diz isto ou aquilo, é logo apedrejado.
Continuem assim, a dar importância ao que não tem importância. Aos que aqui comentaram o Post, parabéns ganharam um prémio. O melhor opinion maker do ano. Aliás o próprio "dono " do Blog tem opinião sobre tudo. Mais um fazedor de opinião.

Sem imagem de perfil

De CC a 10.11.2014 às 17:23

Grande Keira! Adorei que se despisse sem preconceitos, mas com exigências! Ah, como é difícil encontrar mulheres que aceitem o seu corpo tal como é... http://www.ccstylebook.com/2014/11/keira-nu.html
Sem imagem de perfil

De LA-C a 08.11.2014 às 22:24

JMT, vinha aqui fustigar-te por causa do que disseste sobre o ensino no Governo Sombra quando dou de caras com uma das mais bonitas actrizes britânicas contemporâneas seminua.

Muito bem, pá, a minha zanga passou.
Sem imagem de perfil

De Sara a 08.11.2014 às 10:15

Muito Ben Keira! Honestamente acho-a linda de morrer,desde o love actually que foi o primeiro filme em que a vi. Não tem um corpo ampulheta com tudo no sítio,que não tem,mas e então? A mensagem é precisamente essa,que se lixem os cânones e o que os outros pensam que é bonito,desde que a pessoa seja saudável - e acredito que ela o seja,parece a típica magra genética - e feliz na vida por que motivo se há-de martirizar porque não tem nem nunca terá um corpo supostamente "ideal"? Não tem amor e amigos e trabalho e uma vida? E o mais irónico é que parece que a primeira reacção da generalidade das pessoas face a está capa é precisamente...criticar o corpo dela!Malta,a Keira sabe que é magra,que não tem peito e que ainda por cima um é bem maior que o outro e não está nada incomodada com isso. Porque raio é que nós nos devemos incomodar? Parabéns a ela pela segurança e mensagem valiosa.
Sem imagem de perfil

De Sara a 08.11.2014 às 10:19

*Muito bem Keira,é o que se deve ler no início do post. Já agora e quanto à questão dos tamanhos de roupa cada vez menores - que é bem real,eu ainda me lembro quando podia comprar calças não elásticas na Zara e garanto que,com a mesma etiqueta,o tamanho era bem diferente - eu juro que não entendo quem são os gênios do
Marketing que tomam estás opções que mais não fazem do que perder-lhes clientes! Nisso só tenho a dizer long live H&M!
Sem imagem de perfil

De Morte a 08.11.2014 às 21:25

Mas você já pensa pelos outros.

Não me admira que o que diz que os outros fazem , você o faz. A hipócrisia é terrível.
Uma coisa lhe digo, não meta todos no mesmo saco.
Não seja mais uma/um a pensar com base em censo comum.

Tristeza
Sem imagem de perfil

De Bruxa Mimi a 08.11.2014 às 22:22

Para mim o comentário da "Morte" é que não faz sentido nenhum.
Sem imagem de perfil

De Morte a 08.11.2014 às 23:41

Se o meu não tem sentido é porque não percebeu a que comentário eu respondi.
Já o seu é desnecessário...aliás, inútil.
Nem precisa responder a isto que acabo de escrever, guarde para si a sua opinião.
Sem imagem de perfil

De Sara a 11.11.2014 às 10:07

Oi? Morte (...lol...) só compreendo o seu comentário se for um desses génios do marketing de que falei e que inexplicavemente entenderam que é aceitável manter as etiquetas e reduzir os tamanhos :) Agora, pode-me acusar de muita coisa (bom, na verdade não pode porque não me conhece), mas de hipocrisia é que não. Aliás, estou convencida que este comentário não era para mim. Já agora é "senso comum" - e é mesmo isso que falta a muita gente.
Sem imagem de perfil

De Ana isabel a 07.11.2014 às 18:15

Caras pessoas
Venho pedir-vos para começarem a ter atenção antes de estarem sempre a criticar as pessoas magras.
É que a maior parte das vezes é mesmo uma questão de genética.
Eu SEMPRE fui muito magra e super saudável. Nunca fiz dietas e sempre comi o que me apetecia. Até ter a minha terceira filha pesava 45 kilos. Depois finalmente consegui engordar 5 kilos.
Tenho 3 filhas. Duas são iguais, enquanto que a mais nova já tem de ter cuidado com o que come. Sem dramas.
Já cheguei a uma idade em que tenho de ter um certo cuidado com a alimentação, pois agora até tenho um certo orgulho em manter a minha linha. Porque não? Mas realmente não tenho de fazer fazer nenhum sacrifício.
Quando se fala das pessoas mais fortes, tem de se ter um enorme cuidado para não ofender. Está correcto. Mas e as pessoas magras?
Temos de passar sempre por anoréxicas, passar fome com dietas loucas, ou ter algum problema? É que não temos!

Sem imagem de perfil

De Melissa_C a 09.11.2014 às 09:26

Subscrevo. Sou naturalmente magra, daquele tipo de magra que conseguia comer um chocolate por dia e ainda assim ouvir comentários como "és um pau de virar tripas", "tábua de engomar", "pareces anoréctica, és mesmo?" - tudo perfeitamente aceitável, o que não é aceitável é eu chegar-me ao pé de alguém com excesso de peso e comentar "és gorda que nem uma baleia!"
Sem imagem de perfil

De Joana Santos Saraiva a 08.12.2014 às 10:43

É isto mesmo! Sou mãe de 4 (manos seguidinhos, 4 em 8 anos de casamento, quase 9) e só enquanto gravida perco a forma original. Nesta etapa (34 anos) pareço uma irma mais velha, nao me coibo de fazer nada com os miúdos (com 4 miudos e tudo o q exige já é desempenho atlético a nível olímpico, acreditem) e se bem q justifico a forma física com este ginásio doméstico da maternidade, verdade dos factos é q continuo com uma estrutura quase infantil (óssea, gorduras e (a minha preferida, pronto matem-me, a pele :) ). Constato assim, a titulo de retrospectiva, q toda a vida levei criticas (negativas, das que inferiorizam) em relação ao físico: Muito magra. Escanzelada. Pouco saudavel. Fraca. E ainda as levo. E as pessoas nao imaginam a agressividade q estes comentários podem acarretar 'nao come', 'coitadinha', 'tens de comer bem', ' se nao comes morres','deixa te de dietas q nao ficas bonita assim'.. Como se eu tivesse escolha! Nunca fiz nada q fosse p alterar o aspecto q a vida me deu (pronto, furei as orelhas).
Imagine se agora fazer isto a alguém com aspecto oposto 'tens q parar de comer', 'coitadinha', 'se nao paras de comer morres', 'deixa te de repastos q nao estas nada bonita assim'.. Aqui já ofende, mas a estirpe magra nao?!
Nao sei o q se passa com a censura, o ID em cada um de nos, q nos confere o lugar no topo da cadeia alimentar. Mas a verdade verdadinha é q apesar de todas as amarguras q me possam ter acompanhado vida fora, agora estou muito bem comigo mesma. Se calhar porque cresci com elas e sobrevivi-lhes. Ha quem nao. Gordos, magros. Tivesse/tenha eu o aspecto q for estou 100% realizada e agradecida com tudo o q tenho.
Sem imagem de perfil

De Magda a 07.11.2014 às 17:00

Eu gosto imenso dela, acho que é giríssima. Assim, no conjunto das suas imperfeições :)


Sem imagem de perfil

De Teresa A. a 07.11.2014 às 14:10

Estao a gozar comigo????

Tudo bem, acho muito bem ela ter tido a "coragem" de mostrar que nao tem peito. Bemvinda ao clube do tamanho A.

Só que daí a chamá-la Mulher e admirá-la vai uma distância enorme!! E as imagens dela extremamente magra, para nao dizer anoréxica? Acham bem, é? Eu achava-a gira nos tempos do "Kick it like Beckham" ou "Pirates of the Caribbean 1", apesar de já aí a achar demasiado magra.
Mas nunca me hei-de esquecer da imagem dela neste vestido:

http://www.nydailynews.com/entertainment/gossip/hunger-games-skinny-stars-hungry-gallery-1.1049008?pmSlide=1.1048991

E nao é por ela nao ter peito, é por estar simplesmente esquelética!
Desde entao ela tem aparecido magríssima, tipo Nicole Richie....

Sexy? Sensual????
Sem imagem de perfil

De LSR a 07.11.2014 às 14:27

Este comentário é tão triste. Os gostos têm de ser iguais?? Só uma mulher com medidas xpto é que pode ser considerada sexy e sensual?? É a tal coisa, se são gordas é porque são gordas, se são magrinhas têm anorexia. Faz lembrar a frase «They tell you to be who you are and then they judge you». Caramba, que isto irrita! Chama-se bullying e eu própria passei e passo por isso.
A comentadora não a acha sexy e sensual tudo muito bem, é a sua opinião, cada um com a sua. Mas porquê o tom de crítica?

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2014 às 14:50

Porque a considera menos mulher? Não tem uma vagina? Não tem o sistema reprodutor feminino? Não fui lá ver (nem tenho curiosidade), mas até prova de contrário penso que seja tão mulher como as outras. Se está magra por uma questão de metabolismo ou por questão de gosto pessoal, é lá com ela. Não deixa de ser Mulher por isso. Nem de ter um corpo feminino (tanto quanto aparente, a moça não tem um pénis). Lembre-se por favor de que os esqueletos são seres humanos com sentimentos e nem toda a gente é "esquelética" por gosto ou opção. Da mesma forma que nem todos têm excesso de peso porque queiram. Respeito totalmente a sua opinião e gosto em relação à magreza/formas femininas, mas não consigo deixar passar o rótulo em branco. Infelizmente sei muito bem o que é ser rotulada dessa forma e asseguro-lhe que provoca o mesmo dano que rótulos para excesso de peso. Não sou assim por opção (simplesmente tenho um problema de saúde) e nunca deixei de me sentir feminina por causa disso. Sei que há coisas que não conseguimos entender, mas isso não faz dos outros menos pessoas por serem diferentes. Eu pelo menos não consigo entender este tipo de rótulos: não conseguiria nunca achar que uma mulher com excesso de peso não pudesse ser sensual ou que fosse menos mulher. Por favor, não interprete o meu desabafo como uma ofensa, não é de todo essa a intenção. É um assunto ao qual não consigo ficar indiferente pois é-me sensível. Sim, acho-a bonita e sensual dentro do peso dela. Em momento nenhum penso que se tenha dito que era a única bonita e sensual do mundo ou um ideal de beleza (odeio esse rótulo também) - há tantas mulheres (anónimas ou não) bonitas e sensuais com outras formas, pesos e medidas! Viva a variedade! Viva a imperfeição e as diferenças :) Um bem haja!
Sem imagem de perfil

De Teresa A. a 07.11.2014 às 15:13

Desculpem se ofendi as mulheres magras, nao era DE TODO a minha intencao.

O meu problema é que a fronteira entre o magro "saudável" e a anorexia é demasiado flexível para o meu gosto.
Eu sou muito sensível a este tema porque, infelizmente, tive contacto com jovens mulheres, belíssimas por dentro e por fora, que se achavam gordas e que por isso entraram na espiral da anorexia e/ou bulimia. Já alguma vez esteve ao pé de uma rapariga de 1,70 m que pesa 40 kg e parece um dos prisioneiros de Auschwitz e que se olha ao espelho e diz que está gorda nas ancas, no rabo, nas coxas, na barriga, nos bracos.... e que seria feliz se pudesse emagrecer 5 kg?
Sabe o que é estar a olhar para uma destas raparigas e ter medo de que ela nao sobreviva?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2014 às 15:29

Infelizmente sei pois acompanhei uma amiga que sofreu (e ainda sofre os efeitos) dessa doença há anos atrás. Se fez esse comentário nessa perspectiva já me é mais fácil entender as suas palavras. Agradeço :) Por isso mesmo odeio o tal rótulo de "ideal de beleza". No fundo é ele o maior culpado deste flagelo. Mulheres magras e gordas irão sempre existir - sinto no fundo que o grande inimigo são mesmo todos os rótulos, e acima de tudo essa necessidade de se encontrar uma beleza ideal. É algo ao qual também sou sensível. E concordo plenamente - a fragilidade dentro cada um de nós torna essa barreira - entre o magro "saudável" e a anorexia - demasiado flexível. É tão fácil cairmos nessa espiral terrível...! Um bem haja :)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.11.2014 às 17:24

Não é preciso conhecer alguém que tenha 'passado' pela anorexia ou bulimia, para se ter uma opinião crítica em relação a determinado tipo de imagem. Acho curioso defenderem, de forma tão acérrima, alguém que está NITIDAMENTE abaixo do peso considerado normal para a sua altura, alegando que se é leviano ou maldoso.
A mesma apreciação que se pode fazer em relação a alguém que está acima do peso, com uns kilos a mais, é tão ou mais legítima do que a que se faz em relação a alguém que está abaixo do peso recomendável.
A Angelina Jolie é, talvez, na minha opinião, a mulher mais bonita de Hollywood. Mas isso não quer dizer que não critique o peso que tem. E criticar aqui não é dizer mal. Vejam o significado da palavra 'criticar' antes de acusarem alguém de dar a sua opinião.
E, se calhar, se pensassem bem, em termos médicos, é mais 'saudável' uma pessoa com peso a mais do que uma com peso a menos. Era bom tema para discussão aqui no blog.

Em relação à Keira, ela falou em nome pessoal. É evidente que ela sabe e sente que não pode ser comparada a outras actrizes, com outros atributos. E como não pretende fazer nada para mudar o seu corpo (por agora), o que acho legítimo e apenas isso, é natural que ela assuma esta posição para se demarcar e para se defender.
Mas é curioso uma actriz, como ela é, vir contestar aquilo que é o modelo ou padrão de beleza, quando ela própria, quer queira quer não (a não ser que deixe de ser actriz de forma definitiva), tem de estar em parte refém desses modelos. Ela não quer mudar nada fisicamente...ok...mas há outras actrizes, bem mais apelativas que irão 'roubar-lhe' os papéis no cinema. E ela é uma excelente actriz? Nem por isso. Quantas actrizes não existem, tão ou melhor do que ela, e que estão à espera de uma oportunidade?
Querem um exemplo de uma actriz que tem sabido contornar esta questão dos padrões de beleza sem renegar aquilo que é a sua condição enquanto mulher? A Jennifer Laurence. Uma míuda, no início até com um peso acima do que era tolerável em Hollywood. E hoje em dia? Dois Óscars e sabe-se lá o que vai conseguir no futuro. Chama-se a isto inteligência, na forma como se gere a imagem e uma carreira. Uma actriz, de cinema, em particular, quer se queira quer não, vive da sua imagem!
Sem imagem de perfil

De José a 10.11.2014 às 08:46

Apesar de não ser nenhum dos comentadores originalmente envolvido, acho que existe uma diferença clara entre "criticar" e "ofender". Over and Out, antes que sobre para mim.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2014 às 16:30

Atenção que existem muito outros motivos, para além da anorexia, para ser magro para além do tal "magro saudável".
Convém sempre ter cuidado, para que não se passe a fazer a associação automática entre magreza e anorexia.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2014 às 17:08

Isso mesmo! Era também aí onde queria chegar com as minhas respostas.
A tal linha que distingue ambos é ténue também por esse motivo - por isso mesmo geralmente se associa uma coisa à outra e (felizmente) muitas vezes não é o caso.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2014 às 17:10

É importante não generalizar, como em tudo!
Sem imagem de perfil

De T. a 08.11.2014 às 16:29

Compreendo a sua preocupação, mas o seu comentário necessita de uma correcção. A fronteira entre o magro saudável e anorexia não é de todo flexível. A última é uma doença psiquiátrica com critérios de diagnóstico e tratamento adequado. A pessoa precisa de apresentar comportamentos, sinais e sintomas muito bem definidos durante um período de tempo, também esse definido, para ser considerada anoréctica. Percebo que pessoas bastante magras, quando comparadas com a população em geral possam suscitar esse 'medo', mas a fronteira é bem clara.
Sem imagem de perfil

De Sílvia a 07.11.2014 às 15:50

Que comentário infeliz. Já pensou que a senhora pode ser assim magra simplesmente pela genética? Tem de ser massacrada por isso?
Eu durante anos (depois engravidei e a coisa mudou) fui assim magra, não porque queria, mas porque a genética assim o determinou. Aliás, por me sentir mal por comentários como estes na altura eu comia nestum (farinha de engorda) e muitos pães por dia para tentar engordar.

Sim, parece-me uma grande senhora por bater o pé e dizer que é fotografada da forma que é e mais nada. Da mesma forma que se fosse uma senhora mais gordinha e fizesse o mesmo também a acharia uma grande mulher.
Sem imagem de perfil

De JP a 07.11.2014 às 16:31

Acho que o que o JMT quis realçar com este post foi a atitude honesta de uma mulher se mostrar tal como é, tal como já o fez em posts anteriores em que outras mulheres mostram as suas curvas voluptuosas ou as marcas da maternidade. Também me lembro de um post em que exaltava a beleza dos cabelos brancos... No fundo é a audácia e coragem de mostrar aquilo que se é, sentindo-se bem no próprio corpo. Ponto final.

Passados os 40, o meu corpo já não é o que era. Cuido bem dele mas faço as minhas asneiras. À semelhança do que alguém já aqui testemunhou, o meu corpo corresponde ao equilíbrio de maldades e cuidados que lhe presto. Digamos que não me sinto injustiçada por ele mas pelo tamanho da roupa vem mal escrito nas etiquetas. Já começa a ter algumas marcas do tempo. É natural. Se as apagar, deixo de ser eu. Se as esconder escondo de mim mesma a minha história. Gosto dele? Sim - é meu. Sou eu que tenho de o aceitar. Quando o mostro em privado é o meu veículo ou é para demonstrar amor e ser amada ou para ver se a saúde vai de feição ou se é preciso de algum cuidado. Quando o mostro em público é para apanhar sol ou dar umas braçadas na piscina e não para ser aprovado por outrAs. O "A" é propositado porque nunca me senti "reprovada" por eles mas sim por elas, especialmente quando as vejo olhar de soslaio para os cabelos brancos que já ostento com orgulho no meio da cabeleira encaracolada. Parece que até consigo ler os balões que dizem "se fosse eu, já tinha pintado esse cabelo!"

No caso em discussão: não me parece que esta atriz tenha exigido aparecer tal como é para exaltar a sua magreza e promover comportamentos associados a disfunções alimentares. Apenas quis mostrar que é o que é. O mesmo aconteceria se fosse uma Kirstie Alley, uma Mariah Carey ou uma Britney Spears mas os comentários seriam no sentido inverso. Ora as mulheres têm de se esconder porque são magras ou porque são gordas, ou porque têm mamas ou porque não as têm ou... ou... porque não correspondem àquilo que os outros acham que elas deveriam ser.

A beleza que se vê nos media não existe: é manipulada. E ninguém se deveria sentir mal com o seu próprio corpo apenas por ser magro, gordo, baixo, alto... Só nos deveríamos sentir mal com o nosso próprio corpo se o nosso peso ou outra coisa qualquer for um factor de risco para a nossa saúde e não pela pressão permanente de ideais de beleza manipuladores e destruidores de autoestima. E isto é especialmente importante para as jovens e, também, para qualquer mulher que foi mãe há pouco tempo ou para qualquer pessoa que, por motivos muito variados, vêm a sua autoestima ser aniquilada pela pressão de imagens de corpos que não existem abrindo, tantas, demasiadas!, vezes caminho à espiral de destruição que são os distúrbios alimentares que deixam marcas para toda a vida.
Sem imagem de perfil

De JP a 07.11.2014 às 16:39

Errata:

1) Onde se lê "Quando o mostro em privado é o meu veículo ou é para demonstrar amor e ser amada ou..." deverá ler-se "Quando o mostro em privado ou é o meu veículo para demonstrar amor e ser amada ou..."

2) Onde se lê "... vêm a sua autoestima ser aniquilada..." deverá ler-se "... vê a sua autoestima ser aniquilada..."
Sem imagem de perfil

De nice a 07.11.2014 às 12:49

Reparem que além de pequenos, não são simétricos. Tem que se dar valor a isto. Numa altura em que se fala tanto da pressão das actrizes para se manterem jovens e bonitas, vem esta Gaja, com G grande e faz isto. Como actriz ela tem muito a desejar (as personagens dela são todas iguais), agora como mulher, estou rendida.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.11.2014 às 17:32

Rendida, fica-se com uma actriz como a Angelina Jolie que tem de fazer uma dupla mastectomia, quando se sabe que Hollywood exige determinado padrão ou padrões de beleza. Isto, sim, é que devia fazer outras mulheres ficarem rendidas e não uma que mosta o peito.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.11.2014 às 17:34

Rendidas, deviam ficar as mulheres perante aquelas que tiveram coragem para mostrar o peito depois de uma dupla mastectomia. Aí, sim, é que deviam ficar rendidas.
É incrível ver a ligeireza de pensamento da maioria das mulheres...
Sem imagem de perfil

De Bruxa Mimi a 08.11.2014 às 19:41

A Angelina Jolie não teve de fazer uma dupla mastectomia, fez porque as probabilidades de vir a ter (vir a ter, não tinha) cancro da mama eram grandes. Mas por acaso ela agora está uma "tábua"? Nunca dei conta disso (mas também não consumo revistas cor-de-rosa para ver as últimas fotos dos famosos). Agora tem certamente um peito lindo - artificial, mas lindo (como tenho ideia de ter sido o verdadeiro, por aquilo que se via nos filmes).
Sem imagem de perfil

De nice a 08.11.2014 às 22:44

Posso ficar rendida com as duas, não? Ainda vou mais longe. Rendida fico com a Tig Notaro que teve de fazer uma dupla mastectomia, sem reconstrução, como a Jolie fez, e ainda fez parte do seu stand up de comédia em topless como a Keira fez. E a Jolie ainda não tinha cancro, tinha risco de, a Tig tem cancro espalhado pelo corpo todo e continua a fazer rir muita gente com os seus espectáculos pelo mundo fora. Meu querido anónimo, lá porque umas mulheres sofrem mais que outras, isso não quer dizer que não se possa dar valor a todas elas. O meu coração chega para todas. Fico rendida com a Keira, com a Angelina e com a Tig e com muitas mais se for preciso.
Sem imagem de perfil

De Diana a 07.11.2014 às 11:04

Aqui fica uma prova de que os "esqueletos" como muitas vezes apelidam as mulheres mais magras (um rótulo que odeio) também são mulheres reais e sensuais. Não é por não termos curvas femininas diferentes (muito menores, mas estão lá à sua maneira) que somos menos reais ou menos mulheres. A Keira é lindíssima, muito sensual e esta atitude só vem provar que é uma mulher mais que real e com M grande. Aplaudo em pé :)

Comentar post


Pág. 1/2




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D