Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Não sei se ria, se chore...

por Teresa Mendonça, em 10.03.14

Dia 6/3/14; 21:55m

 

- Está? João? Desculpa. Há pouco estava com um doente, não podia atender. Era para os miúdos se despedirem?

- (A murmurar) Schuu! A Carolina queria falar contigo.

- Está tudo bem? Os miúdos adormeceram bem?

- Sim, está aqui a Carolina...

- Olá, mamã!

- Olá, princesa. Então como foi o teu dia? 

- Tudo bem. Queria contar-te uma coisa.

- Então diz lá. A mamã está a trabalhar e não pode demorar.

- Sabes aquele banquinho para onde a Ritinha gosta muito de subir para ver os popós?

- No quarto de brincar, princesa?

- Não, na biblioteca.

- Sim, diz lá.

- Esta tarde ela subiu para lá e caiu para a frente e rebentou a boca.

- (Voz ao fundo) Não rebentou nada a boca!

- O quê, Carolina? Não se brinca com coisas sérias. O papá não me disse nada.

- E rasgou o lábio...

- (Voz ao fundo) Que exagero!

- Hã????

- E deitou muito sangue do nariz e da boca...

- Carolina, mas tu estás a brincar comigo? Isto não tem graça nenhuma. Achas que estás a filmar os apanhados? Passa-me lá o papá.

- Adeus, mamã.

- João? Mas afinal o que é que se passa?

- Nada. Ela caiu mas já está bem.

- Mas quando é que isso foi?

- Às três ou quatro da tarde.

- E porque é que não me telefonaste?

- Não te queria preocupar.

- Mas onde é que tu estavas quando isso aconteceu?

- Estava no computador.

- Mas ela não pode ficar em cima do banco sozinha. É muito alto.

- Pensei que não ia cair. E logo por azar tinha tirado os sacos dos livros que estavam por baixo e podiam amparar-lhe a queda.

- Que irresponsabilidade! E tu? Puseste-lhe logo gelo?

- Não.

- Não? Mas porquê?

- Porque ela estava a chorar muito e precisava da chucha para se acalmar.

- Da chucha? Mas tu estás doido? E agora? Como é que ela está?

- Está óptima. A dormir.

- E o nariz? E a boca? Parece um monstrinho, não?

- Não. Só deitou muito sangue.

- E tem o nariz torto? Respira bem?

- Tem o lábio inchado. Faz um bocado de barulho a respirar. Mas eu pus-lhe muito soro.

- Deve estar bonita! Pelo menos lembraste-te do soro! Não voltes a esconder-me uma coisa destas, ouviste?

- Não foi nada sério.

- Pois não. Foi por isso que encomendaste o relato à Carolina?

- Ela é que me pediu muito para te contar.

 

Não sei se me alegre por poder confiar na filha dramática, se me aflija por o excelentíssimo esposo ter tanto medo de mim que se esconde atrás da filha mais velha para me contar o que se passou. Acho que vou descobrir quando for ele a esmurrar acidentalmente o seu próprio nariz e boca e me telefonar a perguntar o que há-de fazer.

 

"Mete uma chucha!", vai ser de certeza a minha resposta.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:26


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria Lúcia Rodrigues Batista a 21.03.2014 às 10:41

Muito bem apreciado...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.03.2014 às 20:17

Sim, porque há por aí cada burra que nem é bom pensar!!! Não generalizem ok!
Sem imagem de perfil

De Paula a 10.03.2014 às 12:00

Homens...
Mas será que não aprendem a antecipar, prevenir, tentar evitar? Será que não têm os olhos, ouvidos, como nós? E tentar esconder... parecem miúdos, só que em ponto grande! Pensarão que vai passar despercebido? Não percebem que vamos ficar ainda mais furiosas por não contarem?
Tudo farinha do mesmo saco! Aprenderam todos na mesma escola!!!
Sem imagem de perfil

De Carla a 10.03.2014 às 15:38

Sim, porque com as mulheres, que conseguem antecipar, prevenir, evitar... as crianças nunca caem!
Sem imagem de perfil

De Eu a 13.03.2014 às 16:03

Cara Paula:

Hipótese 1: Não tem filhos - então compreendo.

Hipótese 2: Tem filhos, mas está separada (e, escusado será dizer que, para si, a culpa disso é toda do ex-marido que, ainda por cima, é feito de farinha) - percebo agora o comentário.

Hipótese 3: Tem filhos e é casada: conselho -> divorcie-se, para bem do seu marido, coitado.
Sem imagem de perfil

De Esposa do Eu a 13.03.2014 às 16:09

Marido, calma com a Srª... Até porque, de facto, nós somos a prova viva do contrário, right? "Deixa-O andar para aprender..." e oops... boca rebentada ... :)
Sem imagem de perfil

De Luis evangelista a 22.03.2014 às 19:24

Mas se eles caírem uma vez e se aleijarem a sério, não voltam a fazer o mesmo erro.
Desde que não vão parar ao hospital.
A minha filhota aprendeu a não sair da cama às escura assim. Claro que isto não serve de exemplo mas sempre é uma defesa abonatória para os homens.

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D