Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





O tabu da amamentação #3

por João Miguel Tavares, em 19.11.14

Queria apenas acrescentar uma nota em relação ao já vasto debate sobre a questão da amamentação (aqui e aqui), que muito me tem surpreendido. Até porque, a meu ver, faltam opiniões de homens, que se têm envergonhado de participar, talvez por acharem que isto não é com eles.

 

Ora, eu sou daqueles que sempre preferiu ver a excelentíssima esposa amamentar com algum recato, por manifestas dificuldades em olhar para as suas mamas - ainda que apenas por três, seis ou nove meses - exclusivamente como um apêndice alimentar ao serviço de bebé. Aliás, muitos pais têm uma relação complicada com os filhos recém-nascidos, e existe até com frequência uma espécie de ciúme manhoso, em boa parte relacionado com a diminuição drástica da atenção da mamã para com o papá.

 

Aconteceu comigo quando nasceu a Carolina, e embora os pais não tenham quase nunca coragem de o verbalizar, existe efectivamente aquela sensação do "e se tirasses as mãos e a boca do meu brinquedo, ó desdentado!" A amamentação é, de certa forma, a prova definitiva da total perta de exclusividade - um conceito que é obviamente importantíssimo num casal monogâmico. Não sei se os vossos maridos alguma vez vos fizeram esta conversa, ou se sou eu que sou particularmente badalhoco, mas, de facto, senti tudo isto.

 

Dito isto, é aqui que alguns (ou melhor: algumas) dão um salto que me parece ilegítimo: o facto de eu preferir o recato, ou de me poder sentir desconfortável se uma amiga está alegremente a amamentar ao pé de mim - porque, em última análise, sou incapaz de des-sexualizar mamas -, não significa que eu exija o recato ou que me passe pela cabeça fazer qualquer espécie de observação em relação à pessoa que amamenta ao meu lado.

 

A civilização é isso: sermos capaz de combater os nossos próprios preconceitos. Podemos continuar a tê-los dentro de nós, mas não vamos tentar impô-los - ou sequer justificá-los - à humanidade. Ou seja: parece-me evidente que uma mulher tem todo o direito de alimentar o seu filho onde e quando lhe apetecer. Se alguém se sentir desconfortável - como eu próprio por vezes me sinto - azarucho: que vire a cara ou feche os olhos. Porque o direito daquela mulher a responder às necessidades do seu bebé obviamente se sobrepõe ao meu desconforto.

 

Acho que se aceitarmos isto encontramos com mais facilidade uma plataforma de entendimento. Eu prefiro o recato. Mas não me passa pela cabeça exigi-lo a uma mãe que está a dar de comer à sua criança.

 

Breastfeeding-Cartoon02.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00


106 comentários

Sem imagem de perfil

De lia a 02.02.2015 às 22:57

Amamentar em público sim + com respeito aos outros ... acredito q nem uma d nós gostaríamos d estar em qualquer lugar q seja acompanhadas do companheiro e de repente uma mulher com os seios a mostra. .. ... eu amamentei por 2 anos ..meu filho c acostumou tanto com o paninho q ele mesmo pedia .... rs
Sem imagem de perfil

De Sílvia a 24.11.2014 às 12:13

Fala-se aqui muito do nojento de ver a mama... Eu acho "nojento" não o ver a mama e o acto de alguém amamentar, mas alguém sujeitar um filho a fazê-lo no meio da multidão (do shopping, por exemplo, que aqui tanto se falou), ou junto de pessoas a passar e a falar/tossir/espirrar (logo a "cuspir" em cima da criança). O defeito pode ser meu, posso ser eu que tenho uma fobia qualquer a germes, mas havendo um espaço próprio (como no shopping), mais tranquilo e limpo para o bebé é preferível. Eu das vezes que dei de mamar ao meu filho, mesmo já sendo de biberão (logo não há exposição mamária!) fiz-lo em local próprio e protegido, para ele, não para mim. Mas isso sou eu!
Sem imagem de perfil

De Lina a 01.12.2014 às 16:46

Concordo a 100%
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.11.2014 às 10:26

Realmente não vale a pena tentar argumentar mais que quem não quer entender não entende e nem quer entender.
Eu, como muitos/as leitores/as não criticamos o acto de amamentar em público (era o que mais faltava criticar uma mãe a dar de comer ao seu filho!).
Agora criticar o acto de passear de mama de fora com a desculpa de ser uma mãe que amamenta, para mim é bem diferente.
Se uma mulher, no dia a dia, não anda por aí a mostrar as mamas e quando o tem que fazer faz com algum recato (ex. vamos fazer uma maografia - acto muito natural - e dão-nos um "paninho" para nos cobrimos e estarmos mais à-vontade), não gosto de ver quando uma mãe que tem toda a legitimidade (aliás, tem o dever!) de dar de comer ao seu filho, saca da mama e a expõe como se de um biberão se tratasse. E não, não é a mesma coisa.
A mama continua a ser uma parte do corpo da mulher. Não deixa de ser uma parte intima, só porque a mulher é mãe!
Pelo menos as minhas mamas não passaram a ser públicas, quando fui mãe. Amamentei sim, adorei essas fases (2 filhos), mas só mostrava o estritamente necessário porque antes de ser mãe sou mulher.
Não me mete nojo, claro que não. Afinal as mamas não são minhas.
Mas se gosto de ver? Não, não gosto.
Se as mulheres deveriam ser proibidas de o fazer? Não, não deviam. Nestes casos, o bom senso deve imperar e não uma lei!
Sem imagem de perfil

De Sílvia a 24.11.2014 às 12:03

Eu entendo! E concordo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 09:48

Há de facto muita gente demente.

Problemas em uma mãe a amamentar uma criança com "pouco recato"?

Sexualizem os seios de uma mulher no seu devido contexto, e deixem-se de parvoíces. O crítico não é amamentar a criança em qualquer local. O crítico e o cúmulo do espúrio é ver problemas em que uma mãe o faça.

E ter ciúmes do recém nascido por achar que "a atenção da mamã para com o papá diminui"? Pelo Sacro-Santo Escroto do Batman, que raio de ideia mais esquisita e deturpada....

Sou pai de duas miúdas. Adoro os seios da minha esposa, no contexto sexual tal como qualquer marido, mas daí sentir ciúmes das minhas filhas durante a amamentação? Não sei se rio ou se choro.

Se tivessem o bom senso e o mínimo de espírito crítico dariam conta de que este pseudo-problema só existe nas vossas mentes perversas.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 15:40

O senhor é um santo sem perversidade nenhuma? Deixe lá que por estas perversidades, como lhes chama, não vem mal ao mundo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 16:02

Claro que vem!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 09:33

LCSP e jsm não podia estar mais de acordo, o que vale é a opinião de pessoas bem IN /formadas, a dramatização e desdramatização de actos na nossa sociedade é de doidos... a que ter bom senso e contextualizar...
Sem imagem de perfil

De maria a 21.11.2014 às 12:28

É bom saber que ainda existem pessoas (in)formadas
Sem imagem de perfil

De Lina a 21.11.2014 às 09:18

Isto é tudo muito bonito, amamentar um bebé é natural mas a forma como algumas mães o fazem não tem nada de normal...Não é normal amamentar um bebé em qualquer lado nem de qualquer maneira, pois tal como não se muda a fralda em qualquer lado e de qualquer maneira também não se deve amamentar em qualquer lado e existindo sempre outras opções. Eu sou mãe de um bebé de 14 meses e já vi um amãe a amamentar um filho dentro de uma loja da zippi sentada numa mesa de roupa... quando tinha um espaço bebé onde podia amamentar à vontade no fundo do corredor do shopping. Qulquer mulher salvo raras excepções pode sempre dirigir-se a um sitio mais recatado, só não o fazem porque não querem porque acham que tem que mostrar aos outros o que estão a fazer. respeito uma mãe que amamenta em publico com recato quando não tem outra opção mas mete-me nojo uma mulher que tira a mama para fora da roupa onde e quando lhe apetece com a desculpa de dar de comer ao filho quando tem outras opções.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 12:27

É triste para a humanidade haver opiniões assim! Tenha vergonha de si e de dizer barbaridades destas!
Sem imagem de perfil

De Kat a 21.11.2014 às 16:42

graças a deus encontrei uma opinião com qual concordo plenamente! obrigada =)
Sem imagem de perfil

De Inês Dunas a 21.11.2014 às 17:15

"mas mete-me nojo uma mulher que tira a mama para fora da roupa onde e quando lhe apetece com a desculpa de dar de comer ao filho quando tem outras opções. "
A mim mete-me nojo opiniões destas, ainda mais quando dadas por mulheres...
Aliás nem será nojo, será mais pena...
A serio?? Tem a condição feminina assim em tão baixa-estima?
Acha mesmo que com todos os preconceitos estupidos e estereotipos que temos de engolir , ainda temos de lidar com estes ataques??
Se a mãe estava sentada em cima de uma mesa da Zippy, o problema deveria ser apenas estar sentada em cima de uma mesa, não estar a amamentar...
Se fosse um homem a dar de biberon, voce apenas criticaria o estar sentado em cima da mesa, já o dar de comer ao bebé seria normal, certo?
Depois ainda dizem que as mães que amamentam são fundamentalistas...
Tanto peso na consciência, inveja e remorsos recalcados...
Não amamentam?
Who cares...
Não façam das maminhas alheias o bode espiatório dos vossos problemas e/ou incapacidades!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.11.2014 às 18:02

Muito bem dito, Inês Dunas.
Eu ando incrédula com o que tenho lido aqui. Não fazia ideia que havia tanta gente preconceituosa e recalcada. Chocadíssimas e bolorentas, que falam muito em respeito e não têm respeito nenhum pela liberdade e direito de uma mãe alimentar quando tiver de ser. Inclusive há para aí um, ou uma, que sugere que a mãe deve tirar o leite com uma bomba antes de ir a determinado sitio e dar esse leite no biberão para não incomodar os olhinhos castos da criatura. Essa alma devia experimentar pôr uma bomba a suga-lhe as mamas para ver o agradável que é. É óbvio que nunca experimentou senão não teria a sobranceria de sugerir tal dislate.
Sem imagem de perfil

De Lina a 01.12.2014 às 14:24

Errado já esperimentei e muito porque tive um filho prematuro que era alimentado por uma sonda até aprender a mamar no peito e durante muito tempo tirava o leite com uma bomba, e garanto-lhe que é a coisa mais natural deste mundo, tal como muitas mães que tem excesso de leite retiram e congelam para mais tarde dar aos filhos quando é preciso, ou para outra pessoa dar..... parece-me é que aqui há é muitas fundamentalistas da mama....
Sem imagem de perfil

De Lina a 01.12.2014 às 14:21

estar a dar o peito ou o bi berão em cima da mesa de roupa da zippy é a mesma coisa...é o local absurdo... e não me venham com a historia de que os bebes tem que mamar no minuto a seguir porque nao é verdade,,, alias uma mae sabe muito bem quando é hora do bebe mamar....e vai acordar e vai mudar fraldinha e vai comer...ou tudo o que for preciso para o bem estar dele...

Fundamentalistas algumas não todas,e não tem a ver com o amamentarem ou não, tem a ver com educação, recato, saber estar e não achar que só porque estaão a amamentar o podem fazer em qualquer sitio ou situação
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.12.2014 às 22:13

agora tive de comentar...
amamentar em qualquer lado e local só porque o bebé tem fome??? já agora e mudar uma fralda bem cheia? também era aceitável ser feito na dita mesa??? sinceramente nunca tive problema em amamentar a minha filha em público agora não em qualquer sítio... isso deveria ser do censo comum das pessoas. qualquer dia dizem que é normal fazer como as ciganas que dão de mamar aos filhos de 4/5anos em cima das bancadas da feira enquanto estão a apregoar... (já sei que me vão chamar racista mas quem nunca viu isso que me atire a primeira pedra!)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.12.2014 às 02:08

Meu deus! Que gente tão complicada.. qual é o problema de dr de mamar na zippy ou na sanita ou um café?!? Deviamos de descomplicar ... afinal só estamos cá de passagem e existem tantas outra coisas com que nos devemos preocupar .... meu deus! A mãe que dá mama tem de ser aplaudida e não criticada desta forma esta a zelar pelo bem do seu filho ... misturar mama com muda de fralda jesus ... mas que raio de educacão receberam vocês pessoas?
Sem imagem de perfil

De lia a 02.02.2015 às 22:52

Concordo mtoo com vc
Sem imagem de perfil

De Mara a 20.11.2014 às 20:47

Passei quase seis anos da minha vida a amamentar.

Amamentar é bom e barato e a comunidade médica em peso está de acordo de que em regra - há excepções - é o melhor para os bebés. Como tal, a sociedade deveria promover a amamentação. Promover a amamentação implica normalizá-la e aceitá-la, com mais ou menos recato. Uma das coisas que faz as mães fartarem-se de dar de mamar é precisamente a prisão em que a amamentação se transforma por causa da visão idealizada da mãe pura e recatada em momento de intimidade com o seu bebé. Para quem gosta, tudo bem. Agora, santa paciência, eu amamentei em exclusivo e a pedido os meus filhos gémeos seis meses. Se só o fizesse em casa teria sido uma mãe irritada e frustrada e teria privado os irmãos mais velhos das férias de verão. Amamentei em todo o lado, na praia, no café a lanchar com amigos, no parque infantil, em restaurantes e tascos. Nunca mostrei mamas a ninguém porque não gosto, em nenhuma circunstancia, do meu corpo demasiado exposto em publico. Mas se há mulheres que não se importam e isso contribui para o sucesso da amamentação, deveríamos apoiá-las em coro!!!!
Sem imagem de perfil

De maria a 20.11.2014 às 19:05

Ainda amamento a minha filha com 2 anos e 4 meses e acho que a mente humana complica demais. Não há nada melhor no mundo que poder amamentar um filho... amamento em qualquer lugar quando a minha filha pede só preciso de me sentar. É simples ...
Até hoje só houve um lugar onde me vieram pedir para sair do edificio ou para me deslocar para a casa de banho porque o que estava a fazer (a amamentar) era proibido. Foi num shopping na ilha de são miguel, nos açores. Posso dizer que senti um misto de sentimentos tanto que mandei chamar o chefe do senhor. Que me pediu desculpa pelo colega porque lá na ilha não estão habituados a este tipo de "situações" e que de facto não estava escrito em lado nenhum de que era proibido.
Creio que para além da mente humana ser complicada demais também se coloca muito nesta questão a sexualidade. As pessoas que veêm as mamas como objecto sexual (tanto homens como mulheres) não veem o amamentar em público, ou sem ser em público, com bons olhos tal como as mulheres que são mais timidas e alheias às opiniões dos outros preferem tapar com um pano ou irem para um sitio isolado.
Para mim só uma coisa me importa a minha filha as outras pessoas têm as suas opiniões eu tenho a minha e a minha é esta.
Sem imagem de perfil

De onde? a 20.11.2014 às 18:37

Mamas onde?
Sem imagem de perfil

De Homem & Pai a 20.11.2014 às 17:43

Aqui vai a opinião de um homem, que também é pai.

E por que não algum recato? Não concordo com quem diz "Quem se sentir incomodado, que desvie o olhar" ou que a eventual malícia está na cabeça dos outros. O espaço público é de todos, não apenas da mãe que quer prescindir de alguma da sua privacidade em nome de um bem maior. Pode haver quem se sinta desconfortável com uma mãe a amamentar sem acautelar um certo resguardo.

O critério da naturalidade do ato vale o que vale, mesmo se embelezarmos a reflexão com considerações sobre o amor e a ternura da relação mãe-filho/a. Não querendo chocar com a comparação: se virmos alguém a urinar em público - e urinar é um ato natural, fisiológico -, como reagiremos?

Finalmente, uma coisa é a necessidade de alimentar a criança, outra é fazer do ato uma afirmação/provocação gratuita.
Sem imagem de perfil

De Sofia a 21.11.2014 às 09:08

Concordo plenamente. "Uma coisa é a necessidade de alimentar a criança, outra é fazer do ato uma afirmação/provocação gratuita." Muito bem.
Sem imagem de perfil

De Pai a 24.11.2014 às 23:58

Mas qual provocação? Sejam mais tolerantes. Refilem por situações realmente importantes.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 10:04

Comparar o ato de amamentar uma criança com o ato de urinar em público alegando que são ambos necessidades fisiológicas, e alegar que há mães que amamentam em público não por que amamentar seja natural, mas constitua uma actuação deliberada com o intuito de provocar e de chocar é não só paradoxal, como totalmente desprovido de bom senso.

E questiono: O problema está no acto em si, ou na cabeça de quem o vê? A ler por aqui as opiniões, e considerando o contexto religioso em Portugal, só posso considerar que o problema não está no ato, mas na cabeça das pessoas.

É claro que há um conjunto de normas sociais, que tal como em qualquer grupo de animais sociais, foram se estabelecendo, com o intuito de normalizar o relacionamento entre seres humanos. Mas a sexualização de um ato que apenas está ligado à alimentação e a criação de laços entre mãe e filho, resvala para o âmbito de um recalcamento da sexualidade que é caricato e curioso.

Um conselho. Vão mas é se tratar.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 17:30

É muito liberal em relação ao assunto, não tem recalcamentos sexuais, acha que tem a cabeça muito arrumada, mas não consegue aceitar opiniões diferentes da sua.

Quem é que precisa de se tratar, afinal?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.11.2014 às 10:35

Disparate

Acho que já tem idade para perceber que não se urina em público porque a urina não tem o hábito de se lavar sozinha, deixa cheiro e a falta de higiene pode causar problemas de saúde, além de terem inventado há uns anos uma coisa fantástica chamada casas de banho.
E há as ditas por todo o lado, como cogumelos, é só abrir os olhos e procurá-las.
Sem imagem de perfil

De Homem & Pai a 21.11.2014 às 17:09

Seria disparate se eu tivesse afirmado: “Não se pode amamentar em público pela mesma razão que não se pode urinar em público”. Mas não foi isso que eu disse, pois não? Não sabemos a idade um do outro, mas parece que há subtilezas que só se percebem com a idade.

Eu sei as razões por que não se urina em público – e não é apenas devido às caraterísticas do líquido excretado. Tem a ver com as partes do corpo envolvidas, imagine. A ranhoca também é desagradável aos sentidos e é potencial transmissora de doenças. No entanto, não se discute se as pessoas podem ou não assoar-se em público porque, veja bem, o nariz anda sempre à vista e não tem outras cargas simbólicas, ao contrário dos órgãos envolvidos na amamentação ou nas necessidades fisiológicas.

Já agora: como diz, a existência de casas de banho em todo o lado torna indesculpável que se urine em locais públicos. E não há milhentas alternativas a dar de mamar com o seio exposto? Assim de repente, ocorre-me a utilização de uma fralda, ir para o automóvel, recorrer aos fraldários...
Sem imagem de perfil

De Pai a 25.11.2014 às 00:05

Nós não nos importamos que se assoem em público. No entanto, no Japão é considerado ofensivo. É tudo controlado pela mente das pessoas...
Sem imagem de perfil

De Inês Dunas a 21.11.2014 às 16:56

urinar e amamentar não é, de todo, a mesma coisa... O senhor tb só come qd ninguém está a ver? É que amamentar trata-se simplesmente de alimentar... Somos mamíferos, amamentar deveria ser natural, por favor... Estes espartilhos pseudo-moralistas-defensores-da-susceptibilidade-alheia são apenas problemas de auto-confiança ou de caracter preconceituoso, nada mais... Se vir uma criança a beber biberon tb se choca? O problema está em ver um pequeno vislumbre da mama por trás da cabeça do bebé, a serio??? Ou será que quem critica não consegue desviar o olhar por curiosidade sexual e sente-se incomodado é com o seu próprio comportamento e projecta a própria vergonha, apontando o dedo a quem amamenta? São só mamas, calma... Menos stress, até porque há homens que as têm maiores que algumas mulheres!!
Sem imagem de perfil

De Homem & Pai a 21.11.2014 às 17:38

Eu só digo isto: o espaço público é de todos. Das mães que amamentam e dos outros todos. Pode haver várias sensibilidades em relação ao ato de amamentar em público. Qual ou quais devem prevalecer? É só mesmo isto.

Se eu quisesse falar do ato em si, teria coisas muito bonitas a dizer. Mas não foi do ato em si que eu quis falar, nem tão-pouco é esse o sentido dos posts do autor do blog, se bem percebi.

E digo isto sem qualquer stress! :)
Sem imagem de perfil

De Pai a 25.11.2014 às 00:09

É engraçado que na sociedade ocidental é muitas vezes tolerado um decote que mostra 90% do seio, mas se alguém mostra o mamilo muda tudo. Nunca percebi porquê :)
Sem imagem de perfil

De Sofia Lopes a 25.11.2014 às 08:12

É verdade, também nunca percebi o porquê de o mamilo em si ser para algumas pessoas tão chocantes...
Sem imagem de perfil

De Lina a 01.12.2014 às 14:28

Concordo plenamente

Comentar post


Pág. 1/5




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D