Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Os pais também são vítimas de ridículos preconceios

por João Miguel Tavares, em 17.07.14

Ah, e tal, coitadinhas das mulheres e dos preconceitos de que são alvo. E os homens, minhas senhoras? O que é que me têm a dizer deste anúncio supostamente sensível de uma empresa de telecomunicações móveis tailandesa chamada DTAC, que nos últimos dias se tornou viral?

 

À boleia de uma campanha que gostaria de ser muito humanista, e que garante que "a tecnologia nunca substituirá o amor", o que se está a fazer é tratar os papás como anormais e incapazes - uau!, incrível!, o gajo conseguiu largar o telemóvel e pegar no filho ao colo!, que extraordinário!

 

Em bom tailandês, fuck off.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:14


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Cristina a 18.07.2014 às 08:22

Pois a mim não me parece nada despropositado, os homens estão muito diferentes mas nem todos. Se calhar a si pareceu-lhe mal porque ajuda muito com tudo. Eu não tive essa sorte, o meu marido nunca foi muito participativo quando o assunto é crianças, é o noutros aspectos mas neste não. E nem era para me tirar trabalho mas sim por ter gosto em fazer. Não aconteceu e no início foi difícil especialmente no 1filho no segundo já não tive expectativas e geri tudo de outra forma.mas reconheço que os homens estão muito diferentes, mas nem todos!bjs
Sem imagem de perfil

De LA-C a 18.07.2014 às 14:29

Os preconceitos dos outros são sempre uma chatice. Já os nossos preconceitos são sempre muito justificados.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.07.2014 às 06:42

Só queria dizer que vivo na Ásia há muitos anos e penso que o anuncio faz todo o sentido. Por exemplo, na cultura Chinesa ( a que conheço melhor) não só os pais não pegam nas crianças como as próprias mães não o fazem tanto como no Ocidente. Por cá cabe às avós cuidarem dos recém-nascidos no primeiro mês de vida. Claro que está tudo a mudar, mas ainda assim não acho nada descabido este anúncio. Além do mais, uma coisa são os preconceitos contra as mulheres-- normalmente relacionados com a qualidade de trabalho e outros que tais-- que NUNCA fizeram sentido, outra é ainda haver um preconceito relacionado com um comportamento que de facto existiu por parte dos homens.
Sem imagem de perfil

De Ana Maria Ramos a 17.07.2014 às 19:07

João,
Pense assim: o preconceito é dirigido contra os homens... tailandeses! É capaz de ter algum significado que nos escapa, eventualmente o facto de os homens tailandeses pouco contribuírem para a educação das crianças. Como em Portugal há quarenta anos atrás!
Sem imagem de perfil

De Insípido a 17.07.2014 às 20:09

Ia escrever precisamente isso. Se calhar na Tailândia esta mensagem faz sentido! Talvez lá os pais não peguem nos filhos, não sei.
Sem imagem de perfil

De espalha brasas a 17.07.2014 às 16:56

se ainda fosse um anúncio ao telemovel...

é mesmo mau...credo...
Sem imagem de perfil

De Simplesmente Ana a 17.07.2014 às 16:01

Realmente que raio de história.

Se bem que faria todo o sentido há uns bons anos.
Sem imagem de perfil

De Rita a 17.07.2014 às 12:19

Nao ha duvida de que os homens sofrem igualmente preconceitos!

Poderiamos debater sobre as consequencias de uns (os direccionados `as mulheres) e de outros (como o desse video), especialmente no que diz respeito 'as futuras escolhas profissionais, 'a desigualdade na divisao das tarefas domesticas e consequencias nas respectivas carreiras, etc etc etc. Mas enfim, preconceitos e estereotipos sao maus e, neste caso, sao duas faces da mesma moeda. Devem ser combatidos, ponto.

Aqui fica outro belo exemplo de cliches de genero (desta vez por parte da Procter & Gamble) relativamente a quem toma conta das criancas, apontado por um pai em licenca de parentalidade em Franca:

http://www.tillthecat.com/2012/06/merci-maman-et-papa-alors/
Sem imagem de perfil

De Coruja Azeiteira a 17.07.2014 às 11:36

Também achei completamente ridícula a mensagem que tentam passar. Parece que é a primeira vez que o pai pega no filho ao colo...

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D