Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Um susto a mais e uma porta a menos

por João Miguel Tavares, em 17.04.15

Ontem, à hora de deitar, não ganhámos para o susto: a Rita entrou no nosso quarto, fechou a porta, e do alto dos seus dois anos e meio decidiu rodar a chave.

 

Nós ficámos de fora, ela ficou dentro, e até os nossos telemóveis ficaram do seu lado - nem chamar os bombeiros conseguíamos. A Rita percebeu que tinha feito asneira, ainda tentou rodar a chave para o outro lado, mas não conseguia. Quando deu por si sozinha começou a chorar, cada vez com mais força.

 

Nós tínhamos uma chave sobresselente, mas não havia forma de ela entrar na fechadura. A chave do lado da Rita não tinha dado a volta completa: ficou virada para cima e do lado de fora não conseguíamos que ela saltasse do canhão de maneira nenhuma. E a Rita cada vez mais desesperada.

 

Podíamos ir chatear os vizinhos, pedir para chamar os bombeiros ou uma Chaves do Areeiro qualquer, mas a Rita estava a chorar desalmadamente, os três irmãos estavam super-preocupados, e nós não a podíamos deixar uma hora sozinha a berrar daquela maneira.

 

Portanto, para grandes males, grandes remédios: no feliz reino do contraplacado, três ou quatro pontapés com força chegam perfeitamente para arrombar uma porta moderna. E assim foi.

fotografia 2.JPG

 

Lá parti a porta (espero, por todos os santinhos, que a fechadura tenha sobrevivido), e pudemos entrar todos para resgatar a pequena princesa em apuros.

 

A Rita ficou muito aliviada de nos ver, como imaginam - e prometeu nunca mais rodar a chave (mas, pelo sim, pelo não, acho que vamos fazer desaparecer por uns tempos as chaves das portas de casa, casas de banho incluídas).

 

Balanço do dia: uma porta a menos, que o Tomás e o Gui decidiram tentar simpaticamente arranjar com... fita-cola.

fotografia 3.JPGfotografia 4.JPG

 

Com resultados duvidosos.

 

Mas enfim: passado o susto, eu ganhei imediatamente o estatuto de super-homem doméstico, sobretudo aos olhos do Gui, que repetiu 37 vezes "uau, o papá partiu a porta", como se eu fosse o seu Clark Kent caseiro.

 

Ele é que estava vestido com o pijama do Homem-Aranha, mas não parava de olhar maravilhado para a façanha do pai. "Uau, o papá partiu a porta!"

 

Tendo em conta que eu e ele andamos numa fase difícil, se calhar vou ter de começar a arrombar uma porta uma vez por mês para ganhar algum do seu respeito e pôr mais juízo na sua cabeça.

 

Sai um bocado caro, mas é educativo. E excelente para o moral.

fotografia 1.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:29

É só para avisar os visitantes cá de casa que as regras para entrar no quarto do Gui, já antes definidas neste post, alteraram-se durante o dia de ontem. Dado nem sempre ser fácil acompanhar a velocidade a que a tecnologia evolui dentro da sua cabeça, eu faço o papel de livro de instruções.

 

Como se explica neste desenho, afixado na porta e produzido com a sofisticação e o cuidado habituais, não se pode entrar no quarto de qualquer maneira.

2014-10-29 09.03.16.jpg

A imagem da esquerda significa (pedi-lhe que me traduzisse os gatafunhos) que a Carolina não pode abrir a porta rodadando simplesmente a maçaneta. Ela tem de marcar o código. E que código é esse?

 

Este código:

2014-10-29 09.04.29.jpg

Quem tem a sorte de possuir este código super-exclusivo, pode então introduzi-lo no teclado que se segue, sem dúvida uma das grandes criações do maluco cá de casa (atentem só na pachorra):

2014-10-29 09.03.29.jpg

Depois de introduzido o código, basta carregar no botão vermelho.

 

Que botão vermelho? Este botão vermelho:

2014-10-29 09.03.38.jpg

E pronto, é isto. Se nos vierem visitar, já sabem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:58


Coisas de que só o Gui se lembra #7

por João Miguel Tavares, em 03.10.14

 

Para entrar no quarto do Gui, actualmente é indispensável executar as seguintes operações:

 

1. Dirigir-se ao objecto A - um mini-gravador/reprodutor digital em forma de relógio que vinha a acompanhar umas sapatilhas Geox -, proferir a palavra-passe "Guilherme" e carregar num botão para ouvir "Guilherme" de volta.

 

2. Após escutar "Guilherme" (antes disso não funciona), dirigir-se ao objecto B, um botão vermelho oriundo não se sabe de onde, e pressionar com força.

 

3. Simplesmente abrir a porta e entrar no quarto deixou de ser permitido desde as 20 horas do passado dia 1.

 

4. Todas as infracções serão punidas com mais uma investida desvairada aos rolos de fita-cola caseiros.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Eu quero uma porta destas cá para casa

por João Miguel Tavares, em 11.02.14

 

O austríaco Klemens Torggler tem andado a trabalhar em portas que se movem através da rotação de dois quadrados. Mas agora parece ter finalmente chegado a um modelo que junta estética, eficácia e aquele toquezinho de sci-fi que nos faz sentir modernos e pensar "porque é que ninguém se lembrou disto antes?".

 

Imagino que esta Evolution Door seja caríssima, e provavelmente nem sequer cumpre algumas daquelas funções básicas para as quais as portas foram criadas, tipo não deixar entrar o frio, diminuir o ruído, e tal. Agora, que tem uma grande pinta, tem. E que eu não me importava nada de ter uma cá em casa, não importava. Vejam o vídeo:

 

E agora em grande plano:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:19



Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D