Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Um susto a mais e uma porta a menos

por João Miguel Tavares, em 17.04.15

Ontem, à hora de deitar, não ganhámos para o susto: a Rita entrou no nosso quarto, fechou a porta, e do alto dos seus dois anos e meio decidiu rodar a chave.

 

Nós ficámos de fora, ela ficou dentro, e até os nossos telemóveis ficaram do seu lado - nem chamar os bombeiros conseguíamos. A Rita percebeu que tinha feito asneira, ainda tentou rodar a chave para o outro lado, mas não conseguia. Quando deu por si sozinha começou a chorar, cada vez com mais força.

 

Nós tínhamos uma chave sobresselente, mas não havia forma de ela entrar na fechadura. A chave do lado da Rita não tinha dado a volta completa: ficou virada para cima e do lado de fora não conseguíamos que ela saltasse do canhão de maneira nenhuma. E a Rita cada vez mais desesperada.

 

Podíamos ir chatear os vizinhos, pedir para chamar os bombeiros ou uma Chaves do Areeiro qualquer, mas a Rita estava a chorar desalmadamente, os três irmãos estavam super-preocupados, e nós não a podíamos deixar uma hora sozinha a berrar daquela maneira.

 

Portanto, para grandes males, grandes remédios: no feliz reino do contraplacado, três ou quatro pontapés com força chegam perfeitamente para arrombar uma porta moderna. E assim foi.

fotografia 2.JPG

 

Lá parti a porta (espero, por todos os santinhos, que a fechadura tenha sobrevivido), e pudemos entrar todos para resgatar a pequena princesa em apuros.

 

A Rita ficou muito aliviada de nos ver, como imaginam - e prometeu nunca mais rodar a chave (mas, pelo sim, pelo não, acho que vamos fazer desaparecer por uns tempos as chaves das portas de casa, casas de banho incluídas).

 

Balanço do dia: uma porta a menos, que o Tomás e o Gui decidiram tentar simpaticamente arranjar com... fita-cola.

fotografia 3.JPGfotografia 4.JPG

 

Com resultados duvidosos.

 

Mas enfim: passado o susto, eu ganhei imediatamente o estatuto de super-homem doméstico, sobretudo aos olhos do Gui, que repetiu 37 vezes "uau, o papá partiu a porta", como se eu fosse o seu Clark Kent caseiro.

 

Ele é que estava vestido com o pijama do Homem-Aranha, mas não parava de olhar maravilhado para a façanha do pai. "Uau, o papá partiu a porta!"

 

Tendo em conta que eu e ele andamos numa fase difícil, se calhar vou ter de começar a arrombar uma porta uma vez por mês para ganhar algum do seu respeito e pôr mais juízo na sua cabeça.

 

Sai um bocado caro, mas é educativo. E excelente para o moral.

fotografia 1.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:29


42 comentários

Sem imagem de perfil

De MARMENDES a 14.05.2015 às 00:52

Há 4 anos fiquei fechada na lavandaria pelo meu filho, na altura, com 2 anos e pouco, ficando com a casa toda para ele. Consegui que ficasse ao pé de mim e lá consegui chamar a atenção de um anjo que ia a passar na rua (porque em Lisboa ninguém olha para ninguém). Telefonou ao meu marido, que por sorte atendeu a chamada ( porque tem a mania de não atender números desconhecidos). Lá veio ele em grande correria, com os quatro piscas ligados para "me resgatar". Nesse dia desapareceram todas as chaves das portas....TODAS!

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D