Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]





A mamã é médica #5

por Teresa Mendonça, em 10.01.13

Uma leitora escreveu: "O meu filho, que tem 2 anos e 10 meses e é um miúdo bem constituído, desde sempre tende a rejeitar a 'comida cozinhada' ao jantar. Ao invés disso gosta de petiscar: pão, queijo, fruta, iogurte, etc. Eu lá vou insistindo porque me parece que ele é muito pequeno para prescindir de uma refeição mais composta, mas muitas (muitas!) vezes a refeição acaba ou em choro ou com ele a não comer nada... O que devo fazer?"

O apetite das crianças varia muitíssimo em função do clima, da época do ano, da actividade física que desenvolvem, do seu humor e da necessidade de se afirmarem. Cá em casa acontece exactamente o mesmo. Se isso se mantém há algum tempo o importante é avaliar o tipo de alimentação que o seu filho faz ao longo do dia e perceber se ele cumpre as doses diárias aconselhadas para a sua idade (cerca de duas doses de lacticínios, três doses de verduras e legumes, seis doses de pão ou equivalentes em arroz, massa e batata, duas doses de carne/peixe/leguminosas e duas doses de fruta). E ainda perceber se os percentis do peso e altura do seu petisco se mantêm equilibrados. Já discutiu esse assunto com o seu pediatra?

De qualquer forma, não é aconselhável comer muito à noite, até para as crianças. Mas, claro, de comer pouco a petiscar vai uma grande diferença. Será que ele come alguma guloseima pouco tempo antes do jantar e depois não tem apetite para comer "de prato"? 

Eu acho sempre positivo explicar às crianças as razões das coisas, escolhendo os argumentos mais adequados à sua idade e às suas necessidades. E depois deixe-o participar na escolha dos legumes/frutas quando vai às compras, transportar um saco mais leve até ao carro ou até casa, armazenar as compras, preparar os ingredientes para o menu do jantar, juntar o sal e o azeite à sopa, e no final deixe-o servir-se da quantidade que ele quiser. O nosso pediatra sempre nos disse que se eles só se servissem de uma colher então que comessem só uma, mas até ao fim.

Se ele ajudar a fazer a sopa (experimente a chamar-lhe um nome diferente como creme ou néctar do Pocoyo ou dos Power Rangers) vai ter curiosidade em prová-la. Arranje umas receitas divertidas usando ingredientes diferentes para lhe despertar a curiosidade: em vez de esparguete use massa chinesa, em vez de uma alface simples faça uma salada arco-íris usando alfaces de várias cores, milho doce, tomate, maçã vermelha com casca aos cubinhos, croutons... Eu não juntaria é o leite ou seus derivados com a sopa, as saladas ou outros nutrientes contendo ferro, pois este não será absorvido, e uma vez que ele gosta de petiscar pode não ingerir as quantidades diárias necessárias.

publicado às 19:15


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D