Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Caros senhores professores que adoram mandar trabalhos para casa:

 

Após ter passado um serão inteiro a construir um Pai Natal com cartolina e algodão, seguido de uma madrugada a recortar e imprimir fotografias da família para um manual de Português, enquanto a excelentíssima esposa preparava com sofisticação universitária uma aula especial sobre água para a semana da Ciência, venho por este meio propor a grelha análise que se segue, com três curtos pontos, que deverão ser cuidadosamente ponderados antes de enviarem trabalhos para casa, ou simples pedidos académicos, às criancinhas:

 

1. Assegurem-se que essa criancinha não pertence a uma família numerosa. É bué giro fazer trabalhos de casa com um filho único, mas não tem graça nenhuma ter de responder às solicitações de quatro putos diferentes, três dos quais têm uma montanha de actividades extra-curriculares. Às tantas não há mãos, estão a ver? Um gajo não consegue estar trinta minutos com a mulher. Não consegue ver uma série. Não consegue testar as molas do colchão. E porquê? Porque está a fazer recortes. 

 

2. As citadas actividades extra-curriculares são outro detalhe importante, a que convém prestar muita atenção. Há pais chanfrados (olhem para mim a levantar o braço) que entendem que a aprendizagem não se esgota na escola, e que acreditam que os filhos devem experimentar outras coisas além do Português e da Matemática. Lembrem-se, se faz favor, que essas outras coisas existem, são fixes, e que a minha filha mais velha, por exemplo, por ser doida e achar graça a demasiadas cenas, tem quase tantas disciplinas extra-curriculares como disciplinas curriculares. Por isso, ela não chega a casa para ficar a ver três horas de televisão como um nababo. A miúda mal tem tempo para se coçar.

 

3. Nunca - mas nunca - enviem trabalhos de casa que eles não consigam fazer sozinhos! Perdoem-me o sublinhado, mas este é o ponto mais importante. Eles não são auto-suficientes para fazer aquilo? Não mandem! Claro está que não me refiro às dúvidas que surgem ao tentar resolver um exercício de Matemática ou de Português. Isso é naturalíssimo e estou cá para ajudar. Refiro-me àqueles trabalhos manuais de encher o olho, àqueles projectos especiais hiperbólicos que estimulam imenso a competitividade dos pais, porque não será o meu filho a ter um globo terrestre em alto relevo mais pobrezinho do que o do Asdrúbal.

 

Não, não não! Nãããããooooo!!!! Eu já não tenho trabalhos manuais desde o sexto ano! E não quero ter! Terminaram em 1984! Não quero trabalhos manuais! Não quero recortes! Não quero colagens! Quero que um juiz impeça qualquer cartolina de se aproximar a menos de 10 metros da minha pessoa!

 

Desculpem-me os pontos de exclamação e os sublinhados, que eu costumo prudentemente manter afastados da escrita. Mas isto tem sido demais. Eu só quero descansar a partir das dez da noite, antes de cair para o lado às onze. Dá para ter uma hora para mim? Dá para ter um momento em paz com a excelentíssima esposa? OK, é verdade que ela prefere a produção de cristais com bicarbonato de sódio à minha companhia. Mas eu prefiro definitivamente a sua companhia à construção de pais natal.

 

Senhores professores, tenham muita, muita atenção a estes três pontos, está bem? Eu estou meeeesmo a precisar da vossa ajuda.

 

Agradeço por antecipação,

 

João Miguel Tavares 

 

DIY-Easy-Toilet-Paper-Roll-Santa-Claus.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:01


302 comentários

Sem imagem de perfil

De Daniela Rego a 05.12.2014 às 16:48

O senhor e a sua esposa estão confusos. O trabalho de casa era para a criança e não para os pais. Esteve a trabalhar para nada uma vez que já fez o ensino obrigatório. Seria melhor dar a oportunidade ao seu filho que é quem precisa.
Sem imagem de perfil

De Joao Pedro a 06.12.2014 às 23:34

Reler ponto 3.
Sem imagem de perfil

De danielasrego@gmail.com a 07.12.2014 às 02:16

Exacto. Porque o senhor e a sua esposa decidiram que a criança não tem capacidade nem autonomia para fazer o trabalho, ela não o faz. Ou a experiência de pai dá-lhe mais conhecimento do que a do professor? Ou passa-lhe pela cabeça que o professor tem algum interesse em avaliar o que o senhor ou a sua esposa sabem fazer? Se é assim, seja coerente. Tire o menino da escola e ensine-o em casa.
Sem imagem de perfil

De Inês Carvalho a 07.12.2014 às 14:55

Pois, não teem de ser os pais a fazer os trabalhos, concordo nisso. Mas acho que os professores também deviam de ter em conta que não podem mandar fichas para trabalho de casa com matéria que as crianças, principalmente da primária, ainda não consolidaram bem na cabeça, e como essas ditas fichas são para avaliação, teem de ser feitas de qualquer modo e vai daí terem de ser os pais a fazer pelas crianças, que coitadas não tiveram tempo em sala de aprender o que é suposto saberem... E não, não tenho filhos mas vejo por vários exemplos que crianças que tive de ajudar e pais que tiveram também de ser ajudados com estas fichas...
Sem imagem de perfil

De Patrícia Portugal a 09.12.2014 às 13:35

É muito engraçado o seu comentário, mas a minha filha tem 8 anos e eu gostaria que a senhora me informa-se como é que uma criança de 8 anos consegue fazer um presépio e uma coroa de Natal a 3 dimensões sozinha. E é bom não esquecer que só tem duas semanas para fazer os trabalho manuais, mais TPC´s que diariamente trás para casa, ter tempo para brincar com a irmã mais nova e com os pais, com tudo isto ela tem que estar na cama ás 21h, porque no dia seguinte ela tem aulas.
Será que a senhora com a sua inteligência rara que consegue dar essa informação?
Sem imagem de perfil

De Daniela Rego a 10.12.2014 às 20:01

Com a minha inteligência rara a resposta é óbvia: se não consegue fazer é melhor não fazer e explicar ao professor qual a razão para não o ter feito.

As maiores felicidades para o casal que faz os trabalhos de uma criança de 8 anos. A chatice é que ela um dia irá, eventualmente, para a universidade. Espero que não escolha um curso muito complicado.

Deixo-vos uma leitura para vos entreter de uma mãe de uma criança espanhola de 9 anos: http://noelialopezcheda.wordpress.com/2014/10/30/me-niego-a-ser-la-agenda-de-mi-hija-por-el-whatsapp/
Sem imagem de perfil

De Francisco Pereira a 04.12.2014 às 11:34

Bom dia

Caro amigo, dirigiu mal a hilariante "carta". Tente reformular a coisa e endereça-la aos senhores do Ministério da Educação.
Sem imagem de perfil

De Joao Pedro a 06.12.2014 às 23:34

Reler ponto 3.
Sem imagem de perfil

De Joao Pedro a 06.12.2014 às 23:35

Nao era para si este comentario..
Sem imagem de perfil

De CMR a 03.12.2014 às 16:49

Caramba, uma pessoa está uns dias sem vir ver o blog e nota logo...
Adorei este post. No meu caso ainda só tenho uma com trabalhos manuais, mas o máximo que terei é duas com trabalhos ao mesmo tempo. Não desespere João. Ao menos vingue-se nas caras de inveja dos outros colegas dos seus filhos, cujos pais não se dedicam tanto às lides manuais escolares.

Bom trabalho!
Sem imagem de perfil

De luis pereira a 02.12.2014 às 18:35

pois isto dos TPC tem muito que se lhe diga!já no meu tempo de escola era uma "porrada" deles e so os "profs" é que sabiam metade deles faziam copias do livro no quadro e agora aprendam..."tens duvidas espera pelo fim da aula..mas ...olha ja tocou para a saida ...olha sabes pergunta amanha...!!!depois levam com avaliações e estam todos muito descontentes e indignados!!
concordo sim que os pais devem ter uma parte activa na vida escolar dos filhos mas existem TPC que minha nossa senhora tenho de ligar para Houston para me mandarem um tecnico da NASA para resolver o problema em questão...Sr professores pensem que tambem podem ter filhos e depois os mesmos levar coiksas destas para casa e depois de 8 horas no trabalho mais uns trocos na ida\volta arrumar casa e fazer jantar provavelmente a cabeça só quer sentar-se no sofa da sala a falar com os piolhos sobre as aulas de trabalhos manuais e não sobre a melkhor maneira de pintar um Picasso!
Sem imagem de perfil

De lagartixa a 06.12.2014 às 16:42

Para o caso do senhor Luís Pereira fez muita falta não ter feito os trabalhos de casa, pois poderia ter aprendido a escrever e a fundamentar, com um bom poder de argumentação, as suas opiniões...
Sem imagem de perfil

De luis pereira a 07.12.2014 às 02:15

pois por acaso sou dos sortudos que começou a trabalhar com 13 anos e ainda assim acabei o 12º...provavelmente em vez de "lançarem" farpas podiam pensar que nem todos nós pais tinham pais com poder economico para "meter" os filhos em explicações e afins!!!

por isso a minha forma de escrever ou de me expressar incomoda muita gente eu não me sentir incomodado com tal facto incomoda muitas mais!!!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.12.2014 às 16:20

É tão bom o acto sexual, não é? Dá "trabalho" acumulado mais tarde, isso já se devia saber antecipadamente.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 04.12.2014 às 13:38

Eh pá... Que grande perola de estupidez deste senhor(a) anonimo(a)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 05.12.2014 às 21:32

Faltam-lhe alguns acentos gráficos.
Sem imagem de perfil

De Tania a 11.12.2014 às 13:09

No meu tempo existiam umas coisas chamadas "pontuação" e "acentuação" relacionadas com "ortografia". Nunca ouvi falar de acentos gráficos, o que são? :)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.12.2014 às 16:13

As actividades extracurriculares são obrigatórias?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.12.2014 às 23:34

Não, não são. E qual o problema? As crianças não podem inscrever-se em algo que apreciam e gostam? Sou professora e concordo: há trabalhos que são solicitados que provam que muitos professores não sabem o que andam a fazer. Ou melhor, sabem: NADA!
Sem imagem de perfil

De Rui pinto a 02.12.2014 às 09:46

Mais uma idiotice deste engraçadinho João.
Ligue ao Pedrinho e peça-lhe para t tratar os professores como deve ser, devolver os funcionários às escolas e olhar o ensino como uma prioridade, e talvez tenha menos tpcs. Já agora, isso das extra curriculares paga-se? Pois não devia, o ensino e a educação devia ser gratuito para termos um país melhor.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.12.2014 às 09:31

E o temível recado chegou cá a casa.
Prazo: 5 de Dezembro!
Ontem, chegados a casa às 21h, a tentar jantar antes das 21.30h, a miúda quase a chorar a perguntar se podíamos fazer o enfeite.
Ainda nem tinha feito os tpc.
Vamos tentar hoje...
Sem imagem de perfil

De Miclas a 01.12.2014 às 19:04

Então o mundo da exigência e do esforço? Se calhar crianças não são para passarem 8h horas por dia num infantário/escola? Se calhar as leis de trabalho devem favorecer a família e o horário reduzido (ah, esse tempos comunas das 9 às 5) de modo a que ter filhos não seja uma penela de pressão que estoura ao final do dia com todos exaustos e sem paciência para aturar ninguém.

As matérias escolares atuais andam numa loucura de exigência e de participação, aliadas ao esforço treslocado regra de todos os sectores de atividade.
Não é suposto terem filhos. Trabalhem que há muita gente desempregada que faz o que vocês fazem, por metade do preço.

Que sonho lindo é o Portugal atual...
Sem imagem de perfil

De Isabel Santos a 01.12.2014 às 17:46

Completa e totalmente de acordo. Parece que se inverteram os papéis e passaram a ser os pais os professores. Não faz qualquer sentido!
Sem imagem de perfil

De Hugo a 11.12.2014 às 15:40

Assino por baixo!!

Comentar post





Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D