Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Primeira aula da Carolina na nova escola, primeiro buraco: ainda não há professor de História.

 

Expliquem-me devagarinho, a ver se eu percebo. Se milhares de professores chegam sempre com uma semana de atraso, porque é que não se fazem as colocações uma semana mais cedo?

 

publicado às 10:39


44 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria2 a 17.09.2014 às 02:55

A razão é que mais uma vez o MEC começou os procedimentos muito tarde e cometeu erros, atrás de erros. Se os pais não se mexem, os alunos ainda ficam sem professores daqui a umas semanas, pois a gravidade dos erros é de tal ordem que a única hipótese será retirar os que foram mal colocados e começar tudo novamente.

JMT, era mesmo importante que alguém se interessasse sobre o assunto, já há algumas abordagens nos jornais, mas se quiser eu explico melhor. É a tal ponto que eu nem sei bem o que fazer, nem sei quem poderá repor a justiça de tudo o que se passou.

Para cúmulo, o MEC enganou-se na fórmula de cálculo da colocação, o que quer dizer que os professores com menos experiência foram colocados antes. Assim como os professores que mentiram nas respostas (sim, mentiram e essas respostas não estão a ser verificadas mas assumidas como verdadeiras). Já foram apanhados alguns casos, mas as Direcções remetem para o MEC, o MEc para os Directores.

NUNCA vi nada assim! Nem sei o que vai acontecer.


Se estiver interessado, eu explico-lhe, contacte-me por e-mail. Tenho fotos da candidatura para comprovar os erros que aponto.
Imagem de perfil

De João Miguel Tavares a 17.09.2014 às 09:42

Eu evito descer muitas vezes ao lado mais específico da questão quando escrevo nos jornais porque não sou especialista na matéria, e porque me parece que os jornais têm, de um modo geral, especialistas em educação que vão denunciando os problemas - além de que para fazer barulho não há melhor do que a Fenprof. Não lhe parece que isso esteja a acontecer desta vez, Maria? Se for esse o caso, e se achar que há algum ângulo particularmente escandaloso que não está a ser abordado pelos media, então sim, agradeço que me explique. O meu mail profissional é jmtavares@outlook.com.
Sem imagem de perfil

De Maria2 a 17.09.2014 às 10:58

Obrigada por ter respondido, João.

Infelizmente, quando a FENPROF abre a boca, acaba por demonstrar, pelo menos aos professores envolvidos, o total desconhecimento da situação. Chega a ser embaraçoso.

A única associação que nos tem ajuda é a ANVPC, mas que não é um sindicato e não tem o acesso à Comunicação Social como a FENPROF.

Eu vou contactá-lo e tentar fazer um resumo.

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D