Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





E beijar os filhos na boca? Pode-se? #2 (parece que não...)

por João Miguel Tavares, em 25.11.14

O Dr. Mário Cordeiro, que até costuma dar uma ampla liberdade às idiossincrasias dos pais, é absolutamente contra os pais beijarem os filhos na boca. Eis a sua argumentação:

 

Nããããão! É dar a ilusão de que a relação parento-filial se pode tornar numa relação conjugal, que é um interdito entre pais e filhos porque corresponde à fantasia dos dois anos de idade. As pessoas cumprimentam-se de todas as maneiras, e os homens com 3 beijos nos países árabes ou no sul de França, ou na Rússia.

 

Todavia, um beijo na boca é como dormir na cama dos pais - um sinal de inversão do triângulo pai-mãe-filho, e uma intrusão do filho na relação conjugal dos pais, com perturbação da sua futura relação conjugal (seja com o Noddy ou a Ursa Teresa, com o João ou a Teresa do Infantário, ou mais tarde com o Príncipe ou Princesa encantados).

 

Portanto, JMT: nãããããão !!!!! A menos que gostem de lançar bombas atómicas ou deixar o percurso de vida dos vossos filhos cheios de minas!

 

kissing-rex.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:15


132 comentários

Sem imagem de perfil

De Pzinha a 26.11.2014 às 11:55

A maior parte dos comentários são muito extremistas ... os pais não acordam um dia e desatam aos beijos na boca aos filhos.
Antes de ser mãe nunca me ocorreu fazê-lo pq não fui educada assim e por lhes atribuir sempre uma conotação sexual.
No entanto qdo se pede um beijo a uma criança pequena instintivamente vai dá-lo na boca e não me pareceu bem virar a cara, parecia estar a rejeitá-lo.
Como já são maiorzinhos é claro que não o fazemos na rua, assim como também chamam de mamã apenas em casa, na rua fui promovida a mãe.
Imagem de perfil

De golimix a 27.11.2014 às 10:21

De acordo consigo.
Antes de ser mãe causava-me uma grande confusão os beijos os lábios, não na boca, como se diz, porque é assim. Nos lábios. Um selinho simples.

Assim que nasceu o meu filho isso tornou-se natural. Sem qualquer sentido sem ser o de um beijo simples e carinhoso. Assim como foi natural ele crescer e isso deixar de acontecer. Os selinhos foram substituídos por ruidosos beijos na bochecha. Agora com 13 anos os beijinhos são dados na testa ou na bochecha.

Talvez se complique demasiado algo que é simples. E não vejo como é que algo simples possa ser um campo minado na vida do meu filho e gostaria de uma explicação mais aprofundada da parte do Sr.Dr. Mário Cordeiro.

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D