Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Mais umas perguntas sobre a educação em Portugal

por João Miguel Tavares, em 17.09.14

Nos comentários a este post sobre mais um atribulado começo de aulas na escola pública, o dr. Mário Cordeiro coloca mais algumas questões altamente pertinentes, que vale a pena trazer para o corpo do blogue. Apenas um resumo das suas propostas:

 

E se os alunos terminam em Junho e se inscrevem em Maio... porque é que as turmas só saem na véspera do primeiro dia de aulas?

 
E se as matérias são nacionais (que eu saiba, o Dom Afonso Henriques de Vila Real será o mesmo de Faro, ou o do Agrupamento Filipa de Lencastre o mesmo dos Salesianos), porque é que os manuais escolares não são feitos por um grupo de trabalho de professores do ramo, impressos na Imprensa Nacional que até tem uma editora, vendidos a preço de custo (aí umas dez vezes menos do que o preço que pagamos) e, finalmente, duráveis 3 a 5 anos (a Pré-História não muda muito, acho)... e feitos em partes que se juntam ao longo do ano para não carregar para a escola nas inefáveis mochilas, no primeiro dia, o peso das páginas de Junho seguinte, e ainda que não se escrevesse nos manuais para os (escassos) irmãos poderem aproveitar?

 
Mas não. A 16 de Setembro continuamos sem alguns professores, com horários incompletos, sem saber o que fazer em termos de actividades complementares... e assim se promove a natalidade...

 

Tudo excelentes perguntas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:45


27 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.09.2014 às 10:22

Gostei muito deste comentário.
Nunca conheci outra realidade que não a portuguesa, mas mesmo assim consigo ver que algo tem de mudar, mas infelizmente não consigo acreditar que vá mudar...

Um exemplo: o meu filho fez o 5 e 6 anos numa EB, no final do 6.º era dada a possibilidade de escolher entre permanecer lá até ao 9.º, ou ir para a secundária.

Aí entram os prós e os contras:
* Na EB são menos alunos, não há tão grande diferença de idades (só até ao 9.º), e são mais "protegidos", mas com o tempo apercebi-me que o "protegidos" significava também em termos de esforço, notas ...

A secundária é ao lado da EB. Os livros adoptados são diferentes!!!

Mudei-o para a secundária, pelo que percebi, quando chegam à secundária para o 10.º os alunos vindos da EB, estão menos preparados que os que fizeram o 3.º ciclo já na secundária.

E com a competitividade de hoje em dia, ele tem é de estar preparado, mas ... não faz sentido nenhum!!!!

Será que se os manuais de cada ano e cada disciplina fossem iguais não haveria mais equidade nas matérias aprendidas? Não me venham dizer que depois não há diferenças, quando se aprende por livros diferentes, mesmo com as mesmas matérias...

Se por motivos de força maior, um aluno tiver de ser transferido a meio do ano, tem de ter novos manuais!!!

Enfim...

Comentar post




Os livros do pai


Onde o pai fala de assuntos sérios



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D